Giramundo e Palavra Cantada fazem mutirão para defender o planeta

'As aventuras de Pauleco e Sandreca no Planeta Água' estreia em BH, reunindo os talentos de Sandra Peres, Paulo Tatit, Beatriz Apocalypse, Ruriá Duprat, Paulo Santos e Fernando Salém

por Augusto Pio 10/08/2019 09:40
Nellie Solitrenick/Divulgação
Espetáculo estreia neste sábado e tem sessão também amanhã, no Sesc Palladium, em Belo Horizonte (foto: Nellie Solitrenick/Divulgação)

“Tudo está muito bonito”, diz Sandra Peres, ao comentar a estreia nacional de As aventuras de Pauleco e Sandreca no Planeta Água, neste sábado (11), em Belo Horizonte. O musical comemora os 25 anos do duo Palavra Cantada – formado por Sandra e Paulo Tatit – e os 50 do Giramundo, companhia mineira que se tornou referência mundial em teatro de bonecos.

O espetáculo é desejo antigo de Sandra e Paulo. “Tínhamos uma coleção de músicas em torno do tema água. Ao mesmo tempo, queríamos dar vida aos personagens Pauleco e Sandreca, inspirados em mim e nele, que as crianças já conhecem de nossos clipes”, conta ela.

A preservação da natureza deu o tom à parceria dos bonecos do Giramundo com os cantautores paulistas. “Este espetáculo é a nossa campanha para o Brasil de hoje, o que de melhor a gente pode fazer”, afirma Sandra, referindo-se à conexão entre arte e a defesa do meio ambiente.

De acordo com a compositora, a ideia é proporcionar à plateia a percepção “diferenciada, profunda e emocionante” a respeito da importância da água. Inclusive, essa substância vital se transforma em elemento percussivo durante o show. Lúdica e divertida, a história leva para o palco 40 bonecos do Giramundo e 11 músicas. Os cantores Fabio Brazza e Fafá de Belém participaram das gravações, encarregados das vozes e de interpretar os temas dos personagens Pingo e Maré.

“Os arranjos são do Ruriá Duprat e as canções foram gravadas com instrumentos sinfônicos. Além disso, contamos com a competência do Paulinho Santos (fundador do Uakti), que fez a percussão de todo o trabalho. É muita emoção dar vida aos bonecos Pauleco e Sandreca”, revela Sandra. “É o primeiro trabalho em que eu e o Paulo estamos de fato no palco, assim como as nossas canções.”

Luiz e José Tatit compuseram 10 músicas da trilha sonora. Já o Rap do Pingo foi criado e interpretado por Fabio Brazza.

MUTIRÃO Um verdadeiro mutirão se formou para dar forma às aventuras de Pauleco e Sandreca. A criação da história coube a Fernando Salém, enquanto Sandra Peres assumiu a direção geral, musical e artística. Beatriz Apocalypse, do Giramundo, encarregou-se da direção de cena e da criação dos bonecos. Ruriá Duprat acumulou direção e produção musical, arranjos e regência.

A mineira Beatriz Apocalypse conta que os bonecos foram criados especialmente para o musical. A sustentabilidade é marca registrada deles – cerca de 85% do material utilizado veio do descarte.

“O espetáculo trata da questão da água, do lixo, da preservação do planeta. Então, transformamos brinquedos, garrafas e pneus em bonecos para dividir com o público a preocupação com o que a gente utiliza, com o que a gente compra. A ideia também é mostrar para as crianças que elas podem transformar seus brinquedos e objetos”, explica a diretora do Giramundo.

Depois de BH, o espetáculo será apresentado no Rio de Janeiro, em Curitiba e em São Paulo. É a segunda parceria entre Giramundo e Palavra Cantada. Em 2008, a opereta Ramon & Maraó contou com dois bonecos do grupo mineiro.

As aventuras de Pauleco e Sandreca no planeta Água
Com Palavra Cantada e Grupo Giramundo
  • Estreia neste sábado (10), às 11h, e domingo (11), às 15h
  • Grande Teatro do Sesc Palladium (Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro)
  • Inteira: R$ 80 (plateias 1 e 2) e R$ 40 (plateia 3). Meia-entrada na forma da lei. Vendas on-line no site Ingresso Rápido.