Edição de 2018 da Campanha de Popularização traz 54 novidades para os palcos de BH

Mesmo após cumprir temporada, participar pela primeira vez no festival representa um momento especial para os artistas

por Ana Clara Brant 16/01/2018 08:20
Daniel Augusto/Divulgação
A produção infantil 'A Bela e a Fera' tem tudo para repetir o sucesso alcançado por 'O rei leão' no ano passado. (foto: Daniel Augusto/Divulgação)

Quem acompanha a Campanha de Popularização Teatro & Dança sabe que vai se deparar com dezenas de espetáculos dos mais variados gêneros e propostas bastante distintas. Além dos veteranos que já se tornaram clássicos no evento – Acredite, um espírito baixou em mim, Meu tio é tia e Como sobreviver em festas e recepções com buffet escasso, há anos em cartaz –, todas as edições trazem novidades. Em 2018, dos 132 espetáculos, 54 são inéditos na campanha, embora tenham sido encenados nos palcos de Belo Horizonte.

Mesmo para quem já participa há um bom tempo do festival, é sempre uma festa apresentar um novo trabalho, como destaca o ator Eraldo Fontiny. “Estar na campanha, ainda mais estrear um novo projeto, é sempre especial. A gente sabe que ela incentiva muita gente a ir ao teatro, ainda mais pela primeira vez, mas é importante frisar que não precisa esperá-la para conferir alguma peça. Elas ficam em cartaz o ano inteiro. E é bacana prestigiar os artistas daqui”, salienta Eraldo.

 

 

A partir de quinta-feira (18), o ator começa a maratona de apresentações de seu mais recente espetáculo, a comédia Gente, a Lili sumiu, que celebra os 20 anos de sua personagem mais famosa: a menina que sempre faz o que quer porque “sua mãe deixa”.  Para Eraldo, é a realização de um sonho. Na história escrita por Caike Luna, Lili some misteriosamente e outros personagens – todos interpretados pelo próprio Eraldo Fontiny – são os suspeitos desse sumiço. “Tenho um carinho enorme pela Lili, ela é um orgulho e muito querida pelo público mineiro. Mas queria também mostrar minhas outras facetas como a hilária Meire Caixeta, o ingênuo e atrapalhado Seu Manel. Quando estreei no ano passado, foram apenas três dias no Cine Brasil e foi um sucesso. Espero que agora na Campanha de Popularização este feito se repita”, afirma.

Allec Gomes/Divulgação
Com 20 anos de estrada, Eraldo Fontiny desfila novos personagens em 'Gente, a Lili sumiu'. (foto: Allec Gomes/Divulgação)

A proposta de Camille Claudel é mais intimista e reflexiva. O monólogo é encenado pela atriz, artista plástica e cantora Ivana Andrés. O texto, escrito por ela e pelo ator e diretor Luciano Luppi, seu marido, se baseou nas cartas trocadas entre a artista francesa e seu grande amor, o escultor Auguste Rodin. “A história se passa em um hospício, onde Claudel ficou 30 anos trancafiada e acabou morrendo. Ela está naquele lugar sem recursos, mas não deixa de mostrar sua criatividade como uma forma de superação da própria solidão, de suas angústias. Em cena, ainda canto e desenho”, ressalta Ivana, que divide o palco com o músico Evaldo Nogueira. Para a atriz, encenar a peça na campanha é especial. “É um espetáculo muito importante pra mim. Fiz a minha leitura dessa história e não poderia estar mais feliz de estar na programação desse evento tão tradicional na cidade.”

INFANTIS Nesta 44ª edição da campanha,  11 produções para a garotada serão encenadas pela primeira vez. Uma delas já está em cartaz. A Bela e a Fera, baseada no clássico escrito em 1740 pela escritora francesa Gabrielle-Suzanne Barbot. A montagem representou um desafio para a Copas Produções. “São cerca de 35 profissionais envolvidos, 10 atores, mais de 40 figurinos, cenários virtuais porque tem muita ambientação e muitos efeitos especiais”, diz Diego Benicá, diretor e produtor da Copas.

Ele acrescenta que, em todas as campanhas, faz questão de apresentar um espetáculo inédito. Em 2017, estreou O rei leão, terceira peça mais vista no ano passado, “um grande feito para uma produção infantil”. A grande sacada é sempre trazer novidades. Este ano, estamos com A Bela e a Fera e trouxemos novamente O rei leão, devido ao sucesso”, explica. Benicá conta que a estreia de A Bela e a Fera, na semana passada, teve bom público e recebeu elogios. “Estamos no nível de grandes produções, mas com o nosso toque mineiro.”

Outra novidade na campanha voltada ao público infantil é Berenice e Soriano, peça que estreia no Centro Cultural Banco do Brasil. Intérprete da protagonista, a atriz Juliane Guimarães diz que participar da campanha sempre gera altas expectativas, já que possibilita um encontro maior com o público. “É uma época em que as pessoas vão mesmo, ainda mais sendo período de férias. É uma oportunidade de a cidade conhecer o nosso trabalho”, acredita.

Na história, Berenice sai numa jornada de busca por seu sabiá Soriano e passa por aventuras e descobertas, encontrando personagens do cancioneiro popular brasileiro e das cantigas de roda. “Quando fizemos a temporada no ano passado, percebi que não só as crianças adoraram, mas os adultos. Principalmente pela trilha, tocada ao vivo, que traz canções que marcaram a infância de todo mundo. Muita gente sai emocionada”, diz.

 

DANÇA A dança também tem caras novas. O projeto Prefácios, que estreia na última semana do evento, em março, é formado por quatro espetáculos que dialogam entre si. “Somos um conjunto de artistas que têm afinidades e criamos essa proposta. Cada dia da semana vai ser apresentada uma montagem diferente, mas não deixam de seguir a mesma história”, revela o bailarino Fábio Dornas, um dos idealizadores.

Lori Figueiredo/Divulgação
O solo de Anderson Aleixo 'Prefácios (Capelas gerais)' integra o projeto de quatro espetáculos interligados. (foto: Lori Figueiredo/Divulgação)
 

O espetáculo que abre é Prefácios 1 (Capela gerais), solo de Anderson Aleixo, que mescla dança contemporânea e culturas tradicionais mineiras. “Em todos os Prefácios a gente coloca as nossas discussões, cada um mostra a sua bagagem artística e leva a uma reflexão. Neste primeiro, abordamos a questão identitária”, pontua Anderson. Já Prefácios 2 (Caminho e caos), com a bailarina Gabrielle Salomão surgiu a partir de uma residência artística em Portugal, daí a ideia de caminhos. “O caos entra porque uma travessia nunca é uma linha reta. É um solo de dança, mas que tem uma construção conjunta entre música e texto, com subjetividade que busca a universalidade”, explica.

O terceiro trabalho é um duo de Anderson Aleixo e Carolina de Pinho. Prefácios 3 (Variáveis ocultas), que lida com a polaridade e as diferenças, explicitadas pelos movimentos de cada dançarino. “A ideia é mostrar a rede de afetos que compõem o gesto, penetrar o oposto, complementar e se descobrir outro”, revela Carolina.

Fechando a temporada, Prefácios 4 (Encontros) foi criado através do improviso, mas obedecendo certas regras. O espetáculo reúne todos os artistas envolvidos, além de dois convidados, o bailarino Anderson Vieira e o músico Rafael Maciel. “A grande beleza desse trabalho é saber que quando você está improvisando, você tem que estar aberto ao outro. É como se a gente fechasse com chave de ouro o projeto. Espero que o público da campanha curta essa nossa criação”, afirma Fábio Dornas.

Programe-se

A BELA E A FERA

Até 28/01 e de 4/02 a 25/02 (exceto dia 11) no Teatro Sesiminas (R. Padre Marinho, 60, Santa Efigênia. (31) 3241-7181). Quinta, às 16h, e domingo, às 11h. Dia 4/03, às 11h, no Teatro Francisco Nunes (Av. Afonso Pena, s/n, Centro. (31) 3277-6325). Ingressos: R$ 17. Classificação: livre

BERENICE E SORIANO
De 24/02 a 4/03, aos sábados e domingos, às 11h, no CCBB (Praça da Liberdade, 450, Funcionários (31) 3431-9400). Ingressos: R$ 10. Classificação: livre

CAMILLE CLAUDEL
De 6/02 a 28/02 (exceto 13 e 14), sempre às terças e quartas, às 20h30, no Teatro da Cidade (Rua da Bahia, 1.341, Centro. (31) 3273-1050). Ingressos: R$ 15. Classificação: 12 anos

GENTE, A LILI SUMIU!
18/01, às 20h, no Espaço Cultural Partage Shopping Betim (Rodovia Fernão Dias, Km 492, s/n, São João, Betim. (31) 3117-1063); 25/01, às 21h, no Teatro Estação Cultural (Av. Cristiano Machado, 11.833, Vila Cloris. (31) 3654-6065); 27/01, às 18h30, no Teatro Sesiminas (R. Padre Marinho, 60, Santa Efigênia. (31) 3241-7181); 3/02, às 19h, no Teatro Monte Calvário (Rua Bernardo Guimarães, 3.148, Barro Preto. (31) 3045-5210); 3/03, às 21h, no Cine Theatro Brasil Vallourec (Praça Sete, s/nº, Centro. (31) 3201-5211). Ingressos: R$ 15.  Classificação: 14 anos

PREFÁCIOS
Prefácios 1 (Capela gerais), 1º/03, às 21h. Prefácios 2 (Caminho e caos), 2/03, às 21h. Prefácios 3 (Variáveis ocultas), 3/03, às 21h. Prefácios 4 (Encontros), 4/03, às 20h, na Funarte (Rua Januária, 68, Centro. (31) 3213-3084). Ingressos: R$ 15.  Classificação: 10 anos

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']