Musical estrelado por Michel Teló conta história da música sertaneja

Espetáculo homenageia o gênero com hits que atravessaram décadas; produção chega a BH no fim de maio, com três sessões no Minascentro

por Helvécio Carlos 30/04/2017 10:33
Lenise Pinheiro/Divulgação
(foto: Lenise Pinheiro/Divulgação)

São Paulo - Ao contrário dos mais recentes musicais produzidos no Brasil, Bem sertanejo já estreou com os dias contatos. Até junho, serão 21 sessões em sete capitais. Em Belo Horizonte, as apresentações estão confirmadas para os dias 27 e 28 de maio, no Minascentro. Mas, seguindo a mesma trajetória dos musicais mais recentes, a montagem que conta a história do sertanejo tem tudo para ganhar a simpatia do público. A começar pela seleção das 38 canções (confira o set list nesta página).

“Desde o início da produção, minha preocupação era passar a verdade dessa história, com o nosso amor e respeito à música”, afirma o cantor Michel Teló, estrela da montagem, que estreou em São Paulo no feriado de 21 de abril. Durante um ano, Teló esteve mergulhado em pesquisas para a montagem. Muita coisa reconhece ter aprendido no quadro Bem sertanejo, apresentado por ele no programa dominical televisivo Fantástico (Globo).

O critério para a seleção das músicas foi sua importância ao longo das décadas. No entanto, nem todas são tão conhecidas assim. Teló cita, por exemplo, a toada Boiadeiro (Armando Cavalcanti/Klecius Caldas). “Precisávamos de uma música para falar dos boiadeiros. Optamos por essa. Em alguns momentos, ajeitamos o repertório de acordo com o tema. A grande maioria é hit”, pondera.

Com texto, roteiro musical e direção de Gustavo Gasparini, que também dirigiu SamBra – 100 anos do samba e Gilberto Gil - Aquele abraço, as pesquisas de Bem sertanejo foram estendidas a detalhes como por exemplo a história da viola e das primeiras duplas do gênero. Teló ressalta a ideia de o musical procurar valorizar a música caipira, mostrando que ela nasce em um Brasil praticamente rural e se transforma quando o homem deixa o campo e vai para a cidade. “A música sertaneja está no topo, porque ela se modernizou, trouxe coisas novas. Não é à toa que é o gênero mais executado nas rádios. A música sertaneja soube se reinventar”, afirma. “Mas, quando surge uma novidade, muitos vão gostar; outros, não. Sempre vai haver alguém que prefira como antigamente. O importante mesmo é que ela continue agradando gerações.”

CONVITE

O sertanejo diz ter admiração pelas produções teatrais do gênero musical, mas lamenta não ter tanto tempo para acompanhar as estreias nacionais. Viu Cazuza – Pro dia nascer feliz, o musical, por uma brecha na agenda de shows. O número de compromissos é tão grande que ele mesmo adiou a ideia de criar um espetáculo contando a história da música sertaneja. “Também não tinha know how para uma produção desse porte. Fui tocando a vida até surgir o convite de (Luiz) Calainho, da Musickeria. Ele ofereceu o know how, e falei: vambora!”

Um ano depois do encontro com o produtor, Teló reconhece não ter tido tanta dificuldade para encarar o desafio. “Quando recebi a responsabilidade de participar de um mundo totalmente diferente do meu, senti que poderia encarar mais um desafio como tantos outros em minha vida”, afirma, garantindo que, apesar da segurança com que realiza seu trabalho, o frio na barriga continua lá. Seja no teatro, na estrada ou no lançamento de um disco ou DVD, na participação no The Voice Brasil ou nos preparativos para uma nova temporada do Bem sertanejo no Fantástico.

“Frio na barriga é sempre gigantesco. Tudo é uma responsabilidade muito grande”, diz. “O bacana é trazer sempre algo diferente dentro do universo da música.” Teló divide a cena com Alan Rocha, Gabriel Manita, Daniel Carneiro – são destaques – Cristiano Gualda, Lilian Menezes, Jonas Hammar, Pedro Lima, Luiz Nicolau, Rodrigo Lima e Sergio Dalcin. No texto, há citações de letras e poemas de Cora Coralina (Oração ao milho e Cântico da Terra), Rolando Boldrin (Vide vida marvada), Mário de Andrade (Viola quebrada). O cenário, de Gringo Cardia, inspirado em Tarsila do Amaral, também funciona muito bem.

Para fazer bonito no novo desafio, Michel Teló precisou reorganizar sua carreira. Desde março, quando os ensaios se intensificaram, passando a ocupar entre cinco e seis horas diárias, a prioridade na agenda de Teló passou a ser de Bem sertanejo. Por causa dos demais compromissos de sua carreira o espetáculo tem essa temporada curta. “Com o fim da turnê, continuo tocando minha carreira, minha vida de cantor.” Na agenda já estão previstos o lançamento de um DVD divido em Lado A (com clássicos da música sertaneja) e Lado B com 11 canções inéditas. Ainda tem a volta do quadro televisivo e uma nova temporada como técnico do The Voice Brasil. “Em dois anos de participação (no programa), ganhei os dois. Vamos ver o que vai acontecer na próxima edição.”

O repórter viajou a convite da Aventura Entretenimento e Musickeria

Bem sertanejo – O musical
No Minascentro (avenida Augusto de Lima, 785, centro, (31) 3217-7900). Sábado (27 de maio), às 22h; domingo (28 de maio), às 16h e às 20h. Ingressos: de R$ 50 (lote promocional; meia entrada: R$ 25) a R$ 150, à venda pelo site www.ingressorapido.com.br.

SEGURA, PEÃO

Confira o repertório do musical

» Ato I

• Folia de reis
• Calix bento
• Comitiva esperança – Boiadeiro errante – Boiada
• Cana verde
• Um violeiro toca
• Chora viola
• Tristeza do Jeca
• Luar do sertão
• Azulão
• O tropeiro
• A moda da onça
• Espingarda pá! pá! Pá!
• Tá nervoso...vai pescar!
• Rio de lágrimas
• Chalana
• Chuá chuá
• Romaria
• Deus e eu no sertão
• Menino da porteira
• Cio da terra – No mesmo olhar
• Trenzinho caipira – Disparada – Boiadeiro

» Ato II
• Chico mineiro
• Cabocla Tereza
• Marvada pinga
• Poeira
• Índia
• Ave Maria – Around the clock – Eu sou terrível – Meu carango – Flor de cafezal – Estrada da vida
• Fio de cabelo
• Entre tapas e beijos – É o amor – Nuvem de lágrimas – Não aprendi dizer adeus – Faz mais uma vez comigo  Pensa em mim – Evidências
• Festa de rodeio
• Peão apaixonado
• Balada – Bara berê
• Majestade, o sabiá
• Amo noite e dia – Hora da raiva
• Tocando em frente
• Ai ai se eu te pego
• Caipira

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO