Musical em cartaz no Sesc Palladium relembra a alegria da banda Mamonas Assassinas

Atores que interpretam Dinho, Bento, Júlio, Samuel e Sérgio impressionam pela semelhança física e performance no palco

por Ana Clara Brant 02/09/2016 09:48

Em 1996, quando os cantores do Mamonas Assassinas morreram em acidente de avião, o ator Ruy Brissac tinha apenas 6 anos. Ele se lembra com exatidão daquele momento.

 

“Como toda criança, ouvia muito o Mamonas e era contagiado por aquela energia deles, sempre alegres, fantasiados de super-heróis. Quando vi a notícia, achei que era brincadeira, pois eles sempre foram muito palhaços. Não dava para acreditar. Só quando vi os helicópteros e a ambulância me dei conta do que acontecia. Pra mim, o mundo estava acabando”, recorda.
Ike Levi/Divulgação
Jovens atores interpretam o quinteto que divertia crianças e adultos (foto: Ike Levi/Divulgação)

Passadas duas décadas da tragédia, Ruy, de 27, jamais imaginaria dar vida a Dinho, o líder da banda. Mas é ele o protagonista do espetáculo O musical Mamonas, que, depois do Rio de Janeiro e de São Paulo, chega a BH, retratando a trajetória meteórica do quinteto mais escrachado da música brasileira.

Além de Ruy Brissac, o elenco traz Adriano Tunes (Júlio), Yudi Tamashiro (Bento), Elcio Bonazzi (Samuel) e Arthur Lenzura (Sérgio). Todos escolhidos em audições que atraíram 1,5 mil candidatos. Ruy conta que o diretor-geral José Possi Neto se aproximou, antes do teste, e lhe disse: “Você tem o perfil. Não vá me decepcionar, hein?”.

“Imagina a pressão que senti. Logo de cara, já tive de cantar cinco músicas, improvisar casos, fazer várias cenas. O Dinho era um showman. É uma responsabilidade muito grande interpretá-lo”, comenta.

A semelhança física dos atores com os personagens impressiona. A família de Dinho se surpreendeu com Ruy. “A irmã dele me chama de mano, os primos me chamam de primo. A mãe se emocionou ao me ver em cena. Mas não é só parecer fisicamente. No palco, a gente faz os trejeitos, coloca as mesmas roupas. Realmente, parece ser os Mamonas ali”, revela o ator.

 

Miguel Briamonte assina a direção musical e Vanessa Guillen criou as coreografias.

O comentário que Ruy Brissac mais ouve é que as pessoas se sentem no show dos próprios Mamonas Assassinas. “Muita gente que não teve a oportunidade de vê-los pessoalmente afirma que isso acontece no nosso espetáculo. É muito gratificante”, comemora o ator.

O MUSICAL MAMONAS
Diretor: José Possi Neto. Hoje e amanhã, às 21h; domingo às 19h. Sesc Palladium. Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro. Ingressos a partir de R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia). Classificação: 12 anos. Informações: www.ingresso.com e (31) 3142-1901.

MAIS SOBRE TEATRO