Jornalista atacada por Jair Bolsonaro recebe apoio de colegas de profissão

Laurene Santos foi alvo de ataques do presidente ao questioná-lo sobre o uso obrigatório de máscaras durante a pandemia

Reprodução/Instagram
Laurene Santos foi atacada pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (foto: Reprodução/Instagram )

Nesta segunda-feira (21/06), a repórter Laurene Santos da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo, recebeu mensagens de apoio nas redes sociais após ter sido alvo de ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em um evento na cidade de Guaratinguetá, no interior de São Paulo.

 

 

A jornalista questionou o presidente sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras, após ver que ele chegou ao local sem o acessório de proteção, mesmo tendo sido multado recentemente na capital paulista pelo mesmo motivo. Vale destacar que, no último sábado (19/06), o Brasil atingiu a marca trágica de 500 mil mortos devido a Covid-19.  

 

Bolsonaro responde a repórter: "Eu chego como eu quiser, onde eu quiser, eu cuido da minha vida". Após dizer isto, ele tirou novamente a máscara. Laurene, então, tentou explicar para ele que o uso da máscara é exigência de lei, na sequência o presidente mandou a repórter “calar a boca” e depois, insultou a emissora carioca com palavrões.   

 

A jornalista recebeu muitas mensagens de solidariedade e apoio de colegas de profissão nas redes sociais. 

 

 

 

A emissora e a filial emitiram uma nota de repúdio ao presidente e em apoio a Laurene Santos:  

 

"O presidente Jair Bolsonaro falou hoje sobre a marca de 500 mil mortos por COVID no Brasil alcançada no sábado. Foi em viagem a Guaratinguetá, interior de São Paulo, durante conversa com jornalistas que o questionaram se gostaria de dizer alguma palavra sobre as mortes. Bolsonaro disse que lamenta todos os óbitos e em seguida voltou a defender o uso de medicamentos ineficazes contra a COVID. 

 

Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: 

MAIS SOBRE SERIES-E-TV