Torresmão de barriga

22/09/2017 09:40
 Juliana Flister
Juliana Flister

Ingredientes:

- 2 kg de toucinho de barriga (ao comprar, pedir tiras finas, com pouca gordura e mais carne)
- Gordura de porco para fritar
- 1 colher e meia (sopa) de tempero caseiro (alho e sal mais sal do que alho, para não ficar escuro)

Como fazer Torresmão de barriga:

Cortar o toucinho de barriga em tiras de aproximadamente dois palmos de comprimento e três dedos de largura. Lavar em água corrente e, em seguida, passar água fervente nas tiras. Repetir o processo. Passar o tempero no toucinho e deixar descansar por 15 minutos. Em uma panela grande, levar ao fogo 1,5 litro de banha de porco para 10 tiras de toucinho. Quando estiver quente (mas não muito), pôr a carne com a pele virada para cima.

Tampar e, quando começar a estalar, abrir a panela. Com muito cuidado, mexer o torresmo, para não agarrar no fundo. Quando parar de estourar, desligar o fogo, retirar a carne e esperar a gordura esfriar um pouco. Cuidadosamente, transferir a gordura para outra panela. Ligar o fogo e deixar esquentar por cerca de 15 minutos. Pôr o torresmo e deixar por aproximadamente 5 minutos ou até pururucar bem.

Reserva especial

Dizem que os melhores perfumes se encontram nos menores frascos. É verdade que a frase é batida, mas traduz com perfeição a visita ao Bar do Tim Tim, aberto há 27 anos no Santa Inês, Região Leste da capital. Com cardápio que não sofreu alterações desde que a casa foi criada, o bar oferece a cada dia da semana um tira-gosto diferente. Mas não vamos falar aqui da dobradinha, das panquecas e das outras opções que também nos foram recomendadas.

Hoje é dia de reverenciar o rei da apertada cozinha do bar, que dá as caras apenas a partir das 20h, e em quantidade limitadíssima. Por dia, são preparadas apenas 15 unidades do suculento torresmão de barriga, que chega à mesa finamente fatiado. Nelson Geraldo, que administra o bar ao lado do filho Márcio Amaral, explica o porquê de o petisco ter produção tão reduzida: Encontrar a carne não é fácil.

Tem que ser a peça mais fininha, com mais carne do que gordura. Além disso, nossa cozinha é muito pequena e a preparação do torresmo dá muito trabalho. Às 16h tem início o ritual, que de fato requer muito cuidado, inclusive para que o cozinheiro não se queime. Há aqueles que, para garantir sua porção do petisco, deixam a encomenda feita logo cedo. E, democrático que é, Nelson não permite que um único freguês peça muitas unidades.

Receita fornecida por Helena Maria da Costa, do Bar do Tim Tim: (31) 9305-1024 (Márcio)