Perochê

11/08/2017 08:50
 Juliana Flister
Juliana Flister

Ingredientes:

Para a massa

- 1 kg de farinha de trigo

3 ovos

- 250 g de margarina
- 2 copos (tipoamericano) de leite
- Sal a gosto

Para o recheio

- 800 g de batatas
- 250 g de requeijãocremoso
- Cheiro-verde e sal a gosto

Para finalizar

- Molho de tomate, queijo ralado e folhas de manjericão

Como fazer Perochê:

Para a massa, pôr, em uma tigela ou gamela, todos os ingredientes, sendo primeiro a farinha e por último a margarina. Misturar e sovar bem. Com um cilindro ou rolo, abrir a massa até que fique com a espessura aproximada de meio centímetro. Reservar. Para o recheio, descascar as batatas, cozinhar em água com sal, escorrer e espremer. Misturar com o requeijão e o cheiro-verde. Com a boca de um copo, cortar a massa em círculos e por em cada pedaço uma porção do recheio.

Fechar as bordas, como se fosse um pastel, apertando bem para não abrir. Aquecer água suficiente para cobrir e cozinhar os pasteizinhos, aos poucos. Retirar assim que subirem para a superfície. Servir com molho de tomate, queijo ralado e folhinhas de manjericão.

Guardiãs das tradições

Por aqui já desfilaram criações de inspiração árabe, dinamarquesa, japonesa, italiana e de tantas outros sotaques espalhados pelo globo. Afinal, a cozinha é ou não um caldeirão de culturas que se reinventam e se complementam no dia a dia? Para deixar a mistura ainda mais heterogênea, vamos acrescentar um toque ucraniano, este oferecido por Melchizedec Paulino, morador de São Joaquim de Bicas. Professor de matemática, Melch faz de tudo um pouco nas horas vagas, inclusive delícias de forno e fogão.

Uma delas é o perohê, ou perochê, como o mineiro apelidou o prato tradicional do país do Leste Europeu, cuja receita veio de uma tia. Ela é filha de italianos, mas não sei como aprendeu a fazer a receita. Comi o perochê pela primeira vez quando criança e sei que foram feitas adaptações para abrasileirar a iguaria. De tia, a receita foi passada para a mãe de Melch, até chegar às mãos do professor.

Por meio delas, o prato ganhou outros toques brasileiros, estes encontrados no recheio e nos temperos do molho. Ao chegar à mesa, a massa prova que, para entender a boa comida, o paladar é quem dita o sotaque.

Receita fornecida por Melchizedec Paulino, de São Joaquim de Bicas: (31) 3534-9370..