Dourado recheado na telha

30/06/2017 09:30
 Gladyston Rodrigues/EM
Gladyston Rodrigues/EM

Ingredientes:

- 1 dourado de aproximadamente2 kg, limpo e semescamas
- Tempero a gosto(sal, alho, pimentae coentro)
- 3 colheres (sopa)de requeijão
- 3 colheres (sopa)de manteiga
- 6 bananas maduras (variedade desejada) cortadas ao meio, no sentido do comprimento
- 1 queijo-de-minaspequeno, picado
- 300 g de presunto fatiado

Material
- 1 telha tipo colonial
- Folha de bananeira

Tipo exportação:

- De Jaíba, o limão taiti faz sucesso na Europa, forte mercado de produtores como os da marca Borborema. Para exportar, as frutas devem estar verdinhas e passar por um rígido processo, que inclui a aplicação de cera, para ganharem mais brilho. Só a empresa vende 40 toneladas de limão, todas as semanas, para o mercado externo.
- Conheça:(38) 3833-1954

Como fazer Dourado recheado na telha:

Abrir o dourado ao meio, mas sem separar as partes, de modo que forme uma cavidade para ser recheada. Passar o tempero, a manteiga e o requeijão em todo o peixe, por dentro e por fora. Pôr camadas de queijo, presunto e banana, na cavidade aberta, sem fechar. Forrar a telha com folha de bananeira e, por cima, papel alumínio suficiente para embrulhar o peixe. Acomodar o dourado e embrulhar. Levar ao forno médio por 20 minutos.

Retirar o papel e deixar mais cinco minutos.

Delicioso oásis do sertão

Rei soberano do Rio São Francisco, o dourado é considerado por pescadores um peixe arisco, o que torna a sua concorrida carne ainda mais apetitosa. Seja preparado no forno ou na panela, o dourado reina também na mesa, ganhando diferentes roupagens pelas criativas cozinhas do estado. Em Jaíba, o peixe se alia aos sabores da terra, despertando os mais sinceros elogios de seus fieis súditos. Quem assume o preparo do pescado assado na telha, com farto recheio de banana, queijo e presunto, é Amara Soares da Silva.

Comemos banana com tudo. Um dia tive a ideia de combinar com o peixe, que também é da região. O pessoal do meu trabalho gostou e sempre me pede para repetir. A banana, inclusive, é fonte de renda para Amara, que lidera na cidade um grupo de artesãs mestres na fibra de bananeira. A gente sempre inventa peças diferentes para fazer com o material. A conversa precisa parar logo que a realeza sai do forno e surge, imponente, aos olhos dos admiradores.

Nessas horas, salivar é uma verdadeira e digna homenagem.

Receita fornecida por Amara da Silva, de Jaíba: (38) 9132-3615