Cordeiro ao molho de açafrão

02/06/2017 08:00
 Paulo Filgueiras/EM
Paulo Filgueiras/EM

Ingredientes:

- 500 g de pernil traseiro de cordeiro picado emcubos de 5 cm
- 100 g de couve-flor picada
- 1 cenoura picada emtiras longas
- 10 vagens inteiras
- 80 g de grão-de-bico cozido e descascado
- 1 colher (sopa) degengibre picado
- 1 colher (sopa) de açafrão
- 1 colher (sopa) dehortelã picada
- Sal, pimenta síria ecoentro ou salsa a gosto
- Suco de meia laranja
- Sal, pimenta síria ecoentro ou salsa a gosto
- Suco de meia laranja
- 1 cebola ralada
- 5 dentes de alho picados
- 5 colheres de azeite
- 1 litro de caldo de legumes

Tradicional:

- Na Casa de Carnes Malacacheta, o freguês desfruta do sabor da linguiça feita à moda antiga. Em vez de carne triturada, o recheio da tripa é de carne picadinha na faca, o que, segundo apreciadores, confere diferença considerável ao produto.
- Contato:(33) 3514-1113

Como fazer Cordeiro ao molho de açafrão:

Levar o leite e a rapadura ao fogo e mexer até a rapadura derreter e a mistura começar a se soltar do fundo do tacho. Despejar em um tabuleiro e deixar esfriar. Com uma colher, retirar porções do doce e fazer bolinhas no tamanho desejado. Enrolar as bolinhas em pedaços de palha, torcendo as pontas como se fosse uma embalagem de bala.

Mistura de dar gosto

De Malacacheta, a caravana segue com destino a Teófilo Otoni, a 446 quilômetros de BH. Terra das pedras preciosas, a cidade cultiva muitos outros tesouros guardados em cantinhos especiais das cozinhas. Em um caldeirão de nacionalidades, influências e ingredientes, a gastronomia do município ganha forma e sabor, encantando aqueles que a experimentam. Logo na primeira parada, a diversidade fica em evidência, com uma receita cujos segredos vêm de longe.

O aroma de especiarias dá pistas da origem do prato, uma das especialidades do historiador e chefe Sérgio Abdulah, dono do charmoso Restaurante e Café Estação Doce Maria. O cordeiro com açafrão é um dos pratos de influência árabe preparados por ele, que é descendente de libaneses. Mas os saberes do Oriente Médio não reinam sozinhos em sua cozinha. "Uma parte da minha família é baiana, por isso misturo as duas cozinhas.

Em ambas, o tempero é forte." E não é que a mistura deu certo?

Receita fornecida por Sérgio Abdulah, de Teófilo Otoni: (33) 3522-5703