Doce de Bolo de pequi

19/05/2017 09:50
 Euler Junior/EM
Euler Junior/EM

Ingredientes:

- 4 ovos
- 1 xícara e meia (chá) de açúcar refinado
- 1 xícara (chá) de leite
- 4 colheres (sopa) de manteiga
- 3 colheres (sopa) de polpa de pequi
- 2 xícaras e meia (chá) de farinha de trigo
- 1 pitada de sal
- 1 colher (sopa) de fermento químico em pó

Para a cobertura

- 1 lata de leitecondensado
- 1 colher (sopa) de manteiga com sal
- 1 colher (café) de polpa de pequi
- Castanha de pequi torrada e triturada a gosto

Selecionados:

- Cortes diferenciados de carnes, peixes, temperos e muitas outras variedades, do salgado ao doce, são encontradas no EmpórioÍtalo-Libanês, em Lavras. Para quem busca qualidade bons ingredientes para o preparo de receitas, o local é ponto certo.
- Contato:(35) 3822-4483

Como fazer Doce de Bolo de pequi:

Bater as claras em neve. Em outra vasilha, bater as gemas, o açúcar e a manteiga. No liquidificador, bater o leite com a polpa do pequi. Juntar as três misturas em uma vasilha, pôr a farinha, o fermento e mexer com uma colher. Assar por 20 minutos em forma untada e polvilhada, em forno aquecido a 180 graus. Para a cobertura, levar ao fogo todos os ingredientes, exceto a castanha, até dar o ponto de brigadeiro mole (quando começa a se soltar do fundo da panela).

Cobrir o bolo e, por cima, salpicar a castanha.

Polêmica que encanta

Vez ou outra este controverso ingrediente aparece pelo caminho do Sabores de Minas. Agradando a uns, provocando cara feia em outros, mas sempre com seu reinado garantido na cultura das Gerais. É do pequi que estamos falando, fruta que tem fama no Norte do estado, mas que também acha espaço em outras regiões, caso de Itumirim. Por lá, os moradores também usam o fruto de cor amarela e aroma marcante no preparo de receitas tradicionais.

Na cozinha de Yone Nazaré de Carvalho, o fruto aparece até mesmo nas mesas de café, presente em um apetitoso bolo. Nascida na cidade, ela se destaca no preparo dos cardápios de grandes festas. De tortas personalizadas aos salgadinhos, tudo o que faz vira obra de arte. Como prova, mostra um álbum de fotografias com os registros de suas criações. Segundo ela, a facilidade que tem na cozinha é fruto de vocação.

"Quando era mais nova, não fazia nada. Fui criada como princesa. Depois, fui aprender por vontade própria e descobri que era isso que queria", conta. Com as panelas, Yone sustentou os quatro filhos, que lhe deram quatro netos. Toda essa turma faz a festa no Restaurante Varandas. "Aqui é a verdadeira casa da mãe Joana", diverte-se. Em clima amistoso, a tarde se despede e os viajantes caem na estrada.

Satisfeitos, é claro.

Receita fornecida por Ione Nazaré de Carvalho Andrade, de Itumirim: (35) 8405-5929