Como fazer Peixe à parmegiana

19/05/2017 08:50
 Euler Junior/EM
Euler Junior/EM

Ingredientes:

- 1 filé de curimba
- Meio copo (tipo americano) de limão
- 1 copo (americano)de vinagre
- 2 copos (americano) de água
- Tempero a gosto
- 2 ovos batidos
- Farinha de rosca
- Óleo para fritar
- 4 fatias de presunto
- 4 fatias de muçarela
- 3 colheres (sopa) de molho de tomate

Especiais:

- Fundado há 25 anos, o Laticínio Serrabella já se tornou tradição quando se fala em queijos finos. Situado em Lavras, produz delícias como os queijos gorgonzola, brie, gouda, camembert, entre outras variedades. Na loja da fábrica, no distrito industrial, o visitante encontra a linha completa dos produtos.

Como fazer Como fazer Peixe à parmegiana:

Com uma faca, retirar a linha vermelha que há no meio do peixe. Misturar o limão, o vinagre e a água. Pôr o peixe nessa mistura e deixar por dois minutos. Lavar em água corrente. Temperar e passar nos ovos batidos e, em seguida, na farinha de rosca. Fritar em óleo não muito quente. Escorrer o peixe e pôr em uma pedra ou tabuleiro. Pôr o molho, o presunto e a muçarela e levar ao forno para derreter o queijo.

Se preferir, o peixe pode ser apenas assado, em vez de empanado e frito. Basta pôr duas colheres (sopa) de azeite depois de temperar e levar ao forno aquecido a 220 graus, em uma pedra ou tabuleiro, por 20 minutos. Depois, basta acrescentar o queijo, o presunto e o molho e levar novamente ao forno para aquecer.

Sem preconceitos

Para experimentar mais uma bela receita feita com pescado, não é preciso ir muito longe. De Nazareno, chega-se, em um pulo, a Itutinga, a 264 quilômetros da capital. Basta atravessar, uma vez mais, a ponte do Rio Grande para avistar o Restaurante do Jorge, onde os filés de peixe são servidos de maneira peculiar. Natural de Ladainha, no Norte de Minas, Jorge Eleotério Rocha já fez de tudo. De pedreiro, passou a empregado de bar, onde aprendeu as primeiras lições de cozinha.

Foi quando resolveu se arriscar no ofício, abrindo seu próprio negócio. Cheio de curiosidade, ele aprendeu alguns truques, como o de desossar os peixes. Para garantir seu lugar ao sol, apostou em um diferencial: servir os filés aquecidos em uma pedra. "Além de ser diferente, faz com que a comida não esfrie." A pedra usada é a São Tomé, pois, segundo ele, é a única que suporta calor. Por causa da dificuldade que tem em achar certas espécies de peixe na região, Jorge optou por usar a curimba.

Muitos fazem mau juízo da espécie, com fama de ter gosto de terra. Mesmo assim, ele aceitou o desafio. "Basta saber fazer", resume. E foi depois de várias tentativas que o cozinheiro conseguiu, enfim, o ponto ideal. O segredo, ele ensina ao Sabores de Minas.

Receita fornecida por Jorge Eleotério Rocha, de Itutinga: (35) 3825-1204