Doce de jenipapo

10/03/2017 08:40
 Jair Amaral
Jair Amaral

Ingredientes:

- Doce de jenipapo
- 1 kg de açúcar cristal, mais o suficiente parafinalizar o doce
- 2 kg de jenipapo
- Salada de repolho com gergelim
- 1 repolho roxo grande, cortado bem fino
- 100 g de gergelim
- Cheiro-verde a gosto
- 1 colher (sopa) de tempero
- Meia xícara (chá) devinagre de arroz
- Meia xícara (chá) deaçúcar cristal
- Meia xícara (chá) de azeite
- 1 colher (sopa) de margarina

Restaurantes:

- Unaí
- Pizzaria
- Leta Bela (38) 3676-6262
- Sabor Mineiro (38) 3676-1694 l Tonel Mineiro (foto)(38) 3676-4347 l Vila Verde (38) 3676-6666 l Espeto (38) 3676-1555 l Oásis (38) 3676-7111
- Buritis l Brotinhos (38) 3662-1204

Como fazer Doce de jenipapo:

Descascar os jenipapos e retirar as sementes; lavar e cortar a polpa em tiras. Levar ao fogo alto com o açúcar. As tiras irão soltar água e, depois de 10 minutos, ou quando o líquido secar, como se o doce estivesse fritando na panela, retirar do fogo. Pôr as tiras em uma vasilha e, quando esfriar, passá-las no açúcar refinado.

Coração de cozinheira

Para quem está sempre aberto a receber sabedoria, a vida é um aprendizado sem fim. Isso se aplica muito bem à cozinha. Que o diga Antônia Aparecida Costa, moradora de Buritis. Apaixonada desde nova por panelas e fogões, a mineira carrega grande bagagem de conhecimento do assunto, acumulado graças ao convívio com pessoas experientes. O trabalho em casas de famílias foi o que mais lhe proporcionou a troca de conhecimento e de receitas.

Foi na casa de dona Maria de Lourdes, a personagem da receita anterior, que ela aprendeu duas iguarias com os frutos da terra: gergelim e jenipapo. O primeiro é ingrediente de uma salada de sabor sofisticado, mas de preparo bem simples. A outra é uma sobremesa que é uma senhora tentação. Daquelas que dá vontade de beliscar a todo momento, dado o misto de azedinho e doce. Antônia está na casa de Lourdes há seis anos, onde se sente como se estivesse em sua própria residência.

E como faria em seu lar, a cozinheira recebe os viajantes da maneira com que os mineiros parecem carregar no sangue. Com a cozinha aberta e muitos agrados a oferecer ao pé do fogão.

Receita fornecida por Antônia Aparecida Costa: (38) 9929-2731