Pralinês de pequi

02/12/2016 10:10

Ingredientes:

- 1 kg de castanha de pequi (encontrada em mercados municipais, pode também ser retirada da fruta in natura)
- 5 copos (tipo americano) de açúcar
- 1 xícara (chá) de água

Raridades

:

- Se o assunto é cachaça, não deixe de conhecer, em Manga, o Armazém Torres, onde João Torres vende a maioria das marcas. O lugar é perfeito para quem procura raridades, que ficam escondidas no fundo de seu bar e são vendidas até empoeiradas. Armazém Torres (38) 3615-1846

Como fazer Pralinês de pequi:

Em

Uma panela, levar ao fogo quatro copos de

Açúcar e a água. Misturar até dar ponto de

Fio, obtido quando a calda forma um fio ao

Escorrer da colher. Acrescentar as castanhas e

Mexer até a calda cristalizar. Espalhar um copo

De açúcar em um tabuleiro. Retirar a panela do

Fogo e despejar todo o doce no tabuleiro, para

Que o açúcar envolva a castanha, mexendo bem.

Deixar esfriar e secar.

O queridinho do norte

Muitos

Podem torcer o nariz para ele, mas, para

Vicentina Bispo Corte, de Januária, o pequi é

Alimento para qualquer hora, até mesmo para a

Sobremesa, como mostra sua receita de pralinê.

Não é a toa que, ao abrir a porta para nos

Receber, o forte aroma do fruto exala de uma

Bacia de pipoca que ela acabara de preparar,

Temperada com um condimento à base de pequi.

Além do amor pelo fruto do cerrado, Vicentina o

Tem como fonte de renda, por meio dos produtos

Da marca Pequetina, uma mistura de seu nome com

O da iguaria. O carro-chefe da produção é a

Farofa de pequi, feita com a polpa desidratada e

Temperada. “Criei a farofa para acompanhar o

Churrasco de bode que meu pai fazia”, recorda.

Segundo ela, o produto também é combinação

Perfeita para carne-de-sol, pirão e

Feijão-de-tropeiro. “Cresci comendo pequi e

Prefiro ele ao peixe”, confessa. Apesar da

Abundância do fruto na região, Vicentina

Acredita que ele ainda é pouco aproveitado,

Até mesmo no aspecto econômico. “O pessoal

Daqui acha que o que vem de fora é melhor. A

Maior parte da minha produção é vendida a

Quem não é da cidade”, conta. Ainda assim,

Ela não desanima e já imagina vôos mais altos

Para sua atividade, definida por ela como um

Verdadeiro namoro. “Quero montar uma cozinha

Industrial e sair para vender meus produtos e

Divulgar nossa terra.” Criada na zona rural,

Vicentina tem alma sertaneja e gera riquezas

Gastronômicas com o que a natureza produz.

Receita fornecida por Vicentina Bispo Corte, de Januária: (38) 3621-2711