Fettuccine preto

28/10/2016 08:40

Ingredientes:

- Meio quilo de farinha semolina de trigo durum (encontrada em mercados)

Para a massa

- 5 ovos
- 2 sachês (4 g cada) de tinta de lula (encontrada em mercados)

Para o molho

- 1 copo (americano) de vinho branco seco
- 40 g de queijo roquefort picado (encontrado em mercados)
- 1 pitada de alecrim desidratado
- Meia noz-moscada ralada
- 1 lata (300 g) de creme de leite
- 1 pitada de sal

Material

- 1 máquina de abrir e cortar massas
- 1 panela italiana própria para fazer macarrão

Onde ficar:

Pousada Menestrel (31) 3554-2088

Pousada Carumbé (31) 3554-2105

Canto dos Prazeres (31) 3554-2011

Pousada DBró (31) 9996-5530

Pousada da Pedra (31) 3554-2111

Como fazer Fettuccine preto:

A massa

Misturar a tinta com dois ovos, até ficar com a cor da tinta. Reservar. Misturar o restante dos ovos com a farinha. Em seguida, acrescentar a mistura da tinta aos ovos. Com as mãos, bater bem toda a massa até ela se soltar do fundo do recipiente. Deixar descansar por duas horas. Abrir a massa na máquina, no número 1. Passá-la em todos os níveis da máquina, até o número 6 , para que fique bem fina. Ainda na máquina, cortá-la em tiras também finas.

Deixar secar.

O molho

Em uma panela, reduzir o queijo no vinho, até que a bebida evapore. Pôr a noz -moscada, o alecrim, o creme de leite e o sal. Mexer bem, tomando cuidado para que a mistura não ferva muito. Deixar esfriar.

A montagem

Levar uma panela italiana ao fogo, com água até a metade. Deixar ferver. Pôr a massa e deixar por três minutos. Escorrer. Pôr o macarrão no prato e acomodar o molho no centro da massa. Servir.

Para apreciar sem pressa

No horizonte, um mar de montanhas. À mesa, o cheiro de maresia. No restaurante Virada do Campo Bonito, em Lavras Novas, o cliente comprova: beleza põe mesa e abre o apetite. Ali, o aperitivo é a natureza exuberante que cerca o estabelecimento por todos os lados e é contemplada através de enormes janelas. Esse encanto deve ser apreciado sem pressa. Aliás, no Virada do Campo Bonito vale o ditado: o apressado come cru.

Aqui tudo é feito na hora, não temos corre-corre. Em nosso cardápio, a paciência é a melhor entrada, diz o dono e chefe de cozinha Eduardo Jorge Cheib. Especializada em comida italiana, a casa tem como grande diferencial as massas caseiras e o pedido do cliente é preparado na hora. É o slow food, o contrário do fast food do dia-a-dia da cidade grande, afirma. Mas não é esforço algum sentar à mesa no Virada do Campo Bonito e esperar.

A vista maravilhosa abre o apetite: é como se o mar de montanhas preparasse o paladar para o que vem pela frente. A dica é pedir o famoso fettuccine preto, um macarrão feito com tinta de lula e servido com molho de queijo roquefort. Quando vai à mesa, o aroma de maresia é o grande trunfo, e a massa fina e macia derrete no céu da boca. Divino. Na primeira garfada, a certeza: ali, cada segundo de espera vale a pena.

Receita fornecida por Eduardo Jorge Cheib, de Lavras Novas: (31) 3554-2171