Sabor do quilombo

14/10/2016 10:00

Ingredientes:

- 250 ml de leite
- 500 g de açúcar cristal
- 3 ovos
- 250 g de margarina
- 1 colher (sopa, rasa) de sal
- 125 g de nata de leite
- 1 quilo e meio de farinha de trigo
- 100 g de amendoim torrado e moído (sem casca)

Onde ficar:

Hotel Fazenda Cachoeira do Moinho (31) 9734-8870

Hotel Fazenda Belo Vale (31) 3734-1313

Como fazer Sabor do quilombo:

Misturar o açúcar, os ovos, a margarina e a nata. Colocar o sal. Bater a massa em uma tigela com colher de pau, até que fique mole. Acrescentar o amendoim, o leite e a farinha de trigo, até que a massa fique consistente. Enrolar pedaços da massa no formato desejado e levar ao forno pré-aquecido, até dourar.

Gosto de tradição

Por meio das roupas, canções, festas, ritos e comida, o passado é presente e está vivo nas ruínas de uma grande fazenda e no ritmo acelerado dos tambores, que acompanham as batidas dos 145 corações que ali vivem. A comunidade quilombola Chacrinha dos Pretos está localizada a oito quilômetros de Belo Vale e preserva tradições dos antepassados. Minha avó conta que seu pai era escravo e sofreu muito aqui, afirma Maria Aparecida Dias.

Segundo ela, o lugar pertencia a um fazendeiro muito rico, que morreu, doando suas terras a um padre. O religioso quis dividir tudo com os escravos. Porém, assim que ele morreu, veio um outro fazendeiro e tomou tudo, lamenta. Assim, os negros tiveram que comprar o que já era deles. Com a morte do dono das terras, parte da fazenda foi destruída, sobrando apenas ruínas, diz.

Hoje, os destroços representam para a comunidade um templo sagrado, onde são comemoradas as festas e ritos tradicionais. Formada por 35 famílias, a Chacrinha dos Pretos tem como missão repassar de geração em geração histórias e tradições. Outra herança é a comida da comunidade. Fazemos o mingau com couve, tão apreciado pelos escravos. Mas ali também nascem novos sabores, como o biscoito do quilombo, uma receita criada por Maria Aparecida que leva nata, farinha de trigo e amendoim.

Incrivelmente delicioso. Quem sabe este quitute pode ser um legado para os futuros quilombos?, brinca Maria. Sabores que ficarão não só no paladar, mas no coração de todos nós.

Receita fornecida por Maria Aparecida Dias, de Belo Vale: (31) 9286-2396