Requeijão do norte

29/01/2016 10:00

Ingredientes:

- 50 cocos-buriti ou meio quilo de massa do coco
- 5 litros de leite (sem talhar)
- 1 colher (rasa, de sopa) de sal

A galope

Quem gosta de artesanato, não pode reclamar do roteiro. O viajante encontra objetos de barro para a cozinha, de palha para enfeitar a casa, de tecido, para cama e mesa. Às vezes, é possível ver as carroças transportando as peças enormes, como esta, que representa o tronco de uma árvore, feita em Janaúba.

Como fazer Requeijão do norte:

Retirar a nata da

Coalhada e reservar para a etapa final. Cozinhar a

Coalhada por aproximadamente 20 minutos e coar,

Separando o primeiro soro (o soro “bravo”).

Cozinhar a coalhada nos cinco litros de

Leite, para separar

O segundo soro (o “manso”), repetindo o processo

Anterior. Os soros não serão usados para o requeijão. Levar

Ao fogo a nata

Reservada inicialmente com o sal, até

Obter a consistência de doce de leite, e

Juntar

A mistura de coalhada

Com leite, que já deve estar bem escorrida, completamente

Sem soro. Misturar até conseguir uma massa homogênea e apertá-la com uma colher de pau, até ficar no ponto, quando não houver

Mais coalhada crua. Coloque em fôrmas retangulares. Rende 2 kg de requeijão.

Requeijão do norte

A

Viagem pelos sabores da

Culinária do Norte de Minas

Está chegando ao fim e já vai

Deixando saudades. De Januária, voltamos a Montes Claros

E vamos direto para Janaúba, na região

Do Jaíba, a 554 quilômetros de Belo Horizonte. Portas abertas para novas delícias, como o requeijão do Norte, vendido no Mercado Municipal. Ana Antunes Silveira, a dona Ninha, proprietária do Supermercado Ki Barato, explica que não usa nenhum tipo de substância química no requeijão, de cor inconfundível. A tonalidade vem de uma particularidade: a nata da coalhada tem que ser frita até chegar no ponto de doce de leite.

O processo de elaboração é demorado, inclui leite talhado de um dia para outro e leite fresco. Quem compra pode ver todas as etapas, processadas diariamente numa área do estabelecimento. Convite feito, convite aceito. “Quando o requeijão está quente, ele tem um aspecto ligeiro de puxa-puxa. Já quando está frio, fica mais consistente, tipo barra”, conta dona Ninha. Entre os dois, o coração balança, mas acaba pendendo para ambos os lados.

Com café bem quente, melhor ainda!

Receita fornecida por Ana Antunes Silveira, a dona Ninha, de Janaúba.