Bomba colorida

11/11/2006 08:20

Ingredientes:

- 1 kg de farinha de trigo

Para a massa

- 45 g de fermento biológico fresco (de padaria)
- 4 ovos
- 300 g de açúcar refinado
- 2 colheres (sopa) de margarina
- 300 ml de água

Para o recheio

- 1 litro de leite
- 1 kg de açúcar
- 1 pitada de bicarbonato

Para a cobertura de brigadeiro

- Meia lata de leite condensado
- 1 colher (café) de margarina
- 2 colheres (café) de chocolate em pó
- Chocolate granulado ao leite e colorido (para decorar)

Como fazer Bomba colorida:

A massa

Misturar os ingredientes numa batedeira, deixando por último a água, até obter massa homogênea. Dividir em 15 partes iguais, fazer bolinhas do tamanho das de pingue-pongue e depois pãezinhos, com 12 cm de comprimento. Pôr num tabuleiro untado com óleo, cobrir com um pano e esperar a massa crescer. Levar ao forno (180°) de 25 a 30 minutos. Deixar esfriar.

O recheio (doce de leite)

Levar todos os ingredientes ao fogo, com exceção do bicarbonato, durante 45 minutos, até a mistura ficar bem encorpada. Ao fim, juntar o bicarbonato. Mexer o tempo todo, para não agarrar no fundo da panela. O doce vai ficar com a cor de caramelo.

A cobertura de brigadeiro

Levar os ingredientes ao fogo, até obter ponto de brigadeiro mole.

A montagem

Abrir ao meio o pãozinho frio e recheá-lo com o doce de leite. Cobrir com o brigadeiro mole e salpicar, em cada metade, chocolate granulado ao leite e colorido.

Um estouro!

A viagem está mais doce e colorida do que nunca. Na chegada a Conselheiro Pena, a 400 quilômetros de Belo Horizonte, os viajantes encontram uma doce explosão de delícias, que ainda ecoa na memória. Na padaria Sweet Bread pão doce, em bom português , na Rua Benedito Valadares, 1.320, Centro, Edison de Oliveira produz a bomba colorida, recheada com doce de leite, uma variação das bombas de chocolate, com muito mais imaginação e criatividade.

As crianças, principalmente, ficam enlouquecidas ao ver a cobertura bicolor. Uma festa para os olhos e para o paladar. Os adultos trilham o mesmo caminho e se deliciam com cada pedaço, sem preocupação com as calorias. Mais vale um gosto do que dois vinténs, reza o velho dito popular, e não convém desrespeitá-lo. Edison e a mulher moraram muitos anos nos Estados Unidos, mas são mineiros no atendimento, na escolha dos produtos e no preparo artesanal.

Orgulhoso da clientela, o dono da padaria diz que a casa, inaugurada há 11 anos, é hoje ponto de encontro dos moradores, depois da missa das 8h, aos domingos. Que a tradição se mantenha!

Receita fornecida por Edison de Oliveira, de Conselheiro Pena (33) 3261-1802