Galopé

08/08/2005 09:10

Ingredientes:

- 2 kg de carne de galo
- 2 kg de pé de porco
- 2 cebolas médias
- 2 tomates maduros, sem sementes
- 1 maço de cebolinha
- 1 copo (200 ml) de óleo
- Meia colher de pimenta malagueta
- Tempero de alho e sal a gosto
- 1 colher (café) de colorau

Como fazer Galopé:

O pé de porco

Numa panela com água, colocar o pé de porco até levantar fervura, para limpar. Caso a carne seja comprada salgada, repetir a fervura por duas vezes. Escorrer. Numa panela com meio copo de óleo, uma pitada de colorau e tempero de alho e sal, refogar o pé até dourar. Acrescentar água, até cobrir, e cozinhar (na pressão) por 20 minutos. Escorrer e reservar.

O galo

Ferventar e refogar da mesma forma que a carne de porco. Quando estiver cozido, acrescentar o pé. Deixar ferver. Pôr o tomate, a cebola e a cebolinha picados, tampar a panela e deixar no fogo por três minutos, até engrossar o caldo. Salpicar cebolinha para enfeitar. Servir com arroz branco, feijão, couve e salada de tomate e laranja. Porção para seis pessoas.

Carisma como ingrediente

A casa mal abre as portas e logo chegam os clientes, ávidos por mais uma empreitada gastronômica. “Aqui é um dos melhores restaurantes da Serra do Cipó, serve comida caseira e o preço é muito bom”, diz um dos admiradores. “Quando estava na escola, uma vez a professora perguntou o que cada um gostaria de ser quando crescer. Eu disse que queria ser professora, mas ela me confessou que achava que eu daria uma boa cozinheira.

Na época, fiquei com raiva, mas depois entendi tudo”, lembra Maria de Fátima Miguel Correia, de 43 anos, responsável pelos quitutes que agradam do morador do Cipó ao turista estrangeiro. E não há prato mais disputado que o galopé, no Fogão Real, restaurante que Fátima administra há dois anos, ao lado do marido, Roberto (km 100 da MG-010 - Serra do Cipó). Por enquanto, Fátima dispensa cozinheiras e toma conta ela mesma do fogão.

Faz do galo e do pé de porco uma combinação perfeita. “Minha comida tem mais do que tempero, tem carisma e energia positiva. Talvez seja este o segredo”, arrisca Fátima. Entre os sucessos de venda, estão também a canjiquinha e o feijão-de-tropeiro.

Receita fornecida por Maria de Fátima Miguel Correia, da Serra do Cipó (31-3718-7269)