Pão do padre

12/07/2005 09:40

Ingredientes:

Para a primeira massa

- 100 g de farinha de trigo
- 100 g de fermento biológico
- 100 ml de água

Para a massa final

- 900 g de farinha de trigo
- 200 g de margarina
- 160 g de açúcar
- 200 ml de água
- 1 pitada de sal
- 4 ovos

Como fazer Pão do padre:

Para a primeira massa, juntar a farinha e o fermento e, aos poucos, a água. Amassar com as mãos até obter uma bola. Deixá-la descansar por 15 minutos. Para a massa final, juntar o restante dos ingredientes, deixando a água por último e acrescentando-a aos poucos, ao mesmo tempo que se amassa a mistura. Sovar até obter uma massa lisa e consistente. Dividir em quatro e modelar, em forma de pão francês.

Bater os ovos e, com um pincel, passá-los sobre a massa. Fazer cortes sobre cada pão. Colocar numa assadeira untada com óleo. Descansar em temperatura ambiente por três horas. Assar a 180 graus, por cerca de 20 minutos.

Guloseima dos céus

No início do século XX, a Padaria União, em Santa Bárbara, a 105 quilômetros de Belo Horizonte, transportava pães em barricas no lombo de burros. Dessa forma, a comida era entregue aos padres e seminaristas do Caraça. O nome “pão do padre” tornou-se comum na região. Passados mais de 90 anos, a panificadora, inaugurada em 1911 na rua João Mota, 107, no Centro, ainda tem freguesia garantida para o pãozinho.

Não há comprovação de que ele é sagrado ou traz o alívio dos pecados, mas o certo é que as fornadas reforçam as refeições em muitos lares da cidade e de municípios vizinhos. O dono, Rubens Nelson Magalhães Santos, de 49 anos, herdou o negócio do pai, Raymundo Cândido dos Santos Filho, e conta que a qualidade dos pãezinhos mantém a clientela. “É uma exclusividade nossa e se trata de uma receita leve.

O pessoal gosta muito”. Para o lanche completo, bom mesmo é levar o “pão do padre” acompanhado do seu “irmão”, o pão de milho, cuja receita é bem parecida. Há seis anos no ofício, o confeiteiro Eustáquio Magela Braga, de 21, já garantiu sua vaga no reino dos céus.

Receitas fornecidas por Eustáquio Magela Braga, de Santa Bárbara (31-3832-1373)