Livro traz biografias de de mais de 40 artistas mineiros

"Introdução às artes visuais em Minas Gerais" surgiu de pesquisa feita para produção de audiovisual do Memorial de Minas Gerais

por Walter Sebastião 15/06/2013 00:13
Marcos Vieira/EM/D.A Press
Trabalho de GTO: escultura como um edifício metafísico (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press )
Introdução às artes visuais em Minas Gerais (C/Arte) é o nome do livro de Marília Andrés que vai ser lançado hoje, a partir das 10h30, na Livraria Quixote. Traz introdução e pequenas biografias de mais de 40 artistas. “É começo de conversa sobre o moderno e o contemporâneo”, avisa a autora. “As pessoas conhecem alguns autores – Lygia Clark, Amilcar de Castro, Carlos Bracher, Yara Tupinambá. Mas há muito mais realizado, digamos, entre Guignard e Eder Santos”, brinca, sinalizando espaço de tempo que vai dos anos 1950 aos dias atuais.

“O que chama atenção na arte feita em Minas Gerais é a qualidade, a consistência das obras”, acrescenta Marília Andrés, dizendo que o número de autores reunidos no livro poderia ser muito maior. O volume surgiu de pesquisa feita para produção de audiovisual do Memorial de Minas Gerais. Dica da pesquisadora para quem quer conhecer mais a arte mineira é visita às instituições que realizam mostras. Como o Palácio das Artes, exemplifica, “que tem realizado boas mostras e está sempre apresentando coisas novas”.

Depois de apresentar o modernismo, as neovanguardas e a arte contemporânea de Minas Gerais, a pesquisadora encerra a obra com três artistas populares (Raimundo Machado, Geraldo Telles de Oliveira, o GTO, e Maurino Araújo), que se assemelham pela infância humilde, pelo autodidatismo e pela migração para a cidade, que vai operar a mescla entre “a bagagem informal trazida dos antigos espaços de socialização às referências já consolidadas no ethos urbano”, gerando processos criativos singulares.

Marília Andrés é historiadora, graduada em filosofia pela Fafich/UFMG. É mestre em história pela State of New York at Sony Brook (EUA) e doutora em artes pela Escola de Comunicação e Artes da USP. É vice-presidente da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA). Publicou, entre outros títulos, Neovanguardas: Belo Horizonte, anos 60 e coordena a coleção História e Arte, da Editora C/Arte.

Introdução às artes visuais em Minas Gerais

Lançamento do livro de Marília Andrés, hoje, às 10h30, na Livraria Quixote, Rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi, (31) 3227-3077.

Reflexão estética coletiva

Provisões, uma conferência visual [world of matter] é o título de volume editado pela artista plástica Mabe Bethônico que traz textos apresentados em conferência realizada em 2012, no Museu de Arte da Pampulha. Ação do grupo Supply Lines, projeto internacional de arte e pesquisa, que investiga ecologias subjacentes à exploração de recursos naturais. E coletivo que integra artistas, arquitetos e fotojornalistas, além de teóricos dos campos da geografia, história da arte e teoria cultural. Em debate, novos tipos de engajamento procurando abordagens inovadoras e éticas dos recursos renováveis e não renováveis.

Renata Marques, no artigo “Arte como prática de fronteira”, que abre o volume, considera que os textos conduzem a aproximações radicais com motivos como teoria e imagem; pensamento e paisagem; conversa e percepção; ativismo e contemplação; profundidades e distanciamento. “E, ao lado e como propulsoras dessa conferência visual, estão as linhas de abastecimento ou provisões, capazes de aproximar, numa análise rápida, desenho e geopolítica; macroeconomia e micro-história; produção e troca; exploração e apropriação; regulação e vida cotidiana”, escreve.

Considerando que a reflexão sobre tais questões se completa quando abrigada na instituição museu, Renata Marques observa que seminário e livro sugerem um outro estatuto museológico possível: “Plataforma de pesquisa e registro compartilhado de novos processos artísticos e a arte como prática de fronteira”.

O volume foi lançado na Bienal de Veneza e caminha para se tornar uma exposição. Mabe Bethônico, a editora da publicação, assina ensaio sobre tema pouco falado: as mulheres que trabalham na mineração. Provisões… poderá ser encontrado, a partir do mês que vem, na Celma Albuquerque Galeria de Arte, em Belo Horizonte. (WS)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE PENSAR