Pianista ucraniana Valentina Lisitsa se tornou fenômeno no universo da música de concerto por sua técnica

Outro fator de sucesso é a utilização da internet como instrumento de divulgação do repertório erudito

por Carolina Braga 27/04/2013 00:13
Maria Tereza Correia/EM/D.A Press
Maria Tereza Correia/EM/D.A Press (foto: Maria Tereza Correia/EM/D.A Press)
De janeiro até março, a pianista ucraniana Valentina Lisitsa lançou pelo menos três álbuns dedicados à obra do russo Rachmaninoff. Ainda este ano, outros três CDs, com peças do mesmo compositor, ainda estão por vir, isso sem contar recitais e concertos que faz ao redor do mundo. O ritmo acelerado de produção condiz com a imagem da mulher forte, que ela de fato é. Mas se engana quem pensa que a pianista nascida em Kiev, em 1973, seja a materialização do clichê que ronda os músicos eruditos. Ou seja, uma figura sisuda, de vocabulário difícil e ideias herméticas.

De sorriso fácil e aberto, a loira de grandes olhos azuis que passou por Belo Horizonte para recital na terça-feira, faz parte da turma, digamos, mais pop da seara erudita. Sim, além de Rachmaninoff, ela se dedica com afinco às criações de Liszt, Chopin, Beethoven, entre outros. Pelo estilo de sua interpretação vem sendo chamada pela imprensa internacional de “fenômeno” ou “pianista diferente”, como publicou o britânico 'The Guardian'. Não deixam de ser termos adequados.

O diferencial se dá na maneira como toca, mas também na postura artística. Descontada a absoluta tranquilidade como toca o piano, independentemente da complexidade da obra, Valentina fala com desenvoltura dos mestres eruditos na mesma medida em que recorre ao exemplo dos Beatles para descrever o que é clássico. “Música clássica não é difícil. Não é elitista. É somente sobre nós mesmos”, explica. E tem mais: a cada novo concerto lá está ela no YouTube explicando o que vai fazer e também dando uma pequena amostra. Já virou rotina.

Só na plataforma de vídeos da internet tem 84.302 inscritos. No Facebook são outros 31 mil seguidores. Este é um dos diferenciais da artista. Sem refutar a paixão pela música feita há 300 anos, ela abusa das plataformas on-line para dizer ao mundo que a música clássica não deveria ser posta em um pedestal. Pelo contrário. “É clássico porque interessa a todos. Não é só porque foi feito há séculos”, diz.

Valentina Lisitsa torce o nariz quando lembra o quão conservador ainda é o ambiente que costuma frequentar. Mesmo assim, ela joga o jogo. A cada concerto, veste seu longo e mantém a tradição. Mas ao contrário de muitos colegas, quando está afastada dos holofotes dos palcos, a atuação que tem na internet demonstra como está disposta a contribuir para, pelo menos, transformar a tradição. Para a pianista, falar com o público de hoje não é muito diferente da época de Franz Schubert. “A linguagem que usamos é a mesma”, defende.

Expressão 
Desde que começou a tocar, Valentina diz ter tido muito clara a ideia de que se tratava de uma forma de expressão como qualquer outra. “Sempre quis compartilhar com as pessoas porque amo a música. Você pode dizer tantas coisas por meio dela. Coisas que você tem vergonha ou medo de dizer. Você pode expressar amor e ódio”, diz. O primeiro contato com o piano foi aos 3 anos. Aos 4, realizou o primeiro recital solo.

Passou pelo Conservatório de Kiev, onde conheceu o marido Alexei Kuznetsoff, também pianista. Juntos conquistaram vários prêmios, como a competição a duas mãos da Fundação Murray Dranoff. Em paralelo, Lisitsa se apresentou com orquestras do mundo todo, entre elas a Orquestra de Câmara de Praga e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp).

Nos estúdios, gravou oito álbuns para a Audiofon Record Company e um DVD com os '24 estudos' de Chopin. Temas de Schubert e Liszt também foram registrados em vídeo, assim como a gravação de obras-primas de Ravel e Liszt.

Ainda que lá no início sonhasse ser jogadora de xadrez, o currículo mostra que pouco a pouco foi conquistada pela música e assim assumiu a missão de compartilhar emoções. “De que vale a música se não tiver alguém para ouvir? Não tem graça tocar para você mesmo. O mágico é a forma como dividimos uma experiência”, avalia. Sendo assim, ela radicaliza seus propósitos na medida em que explora as plataformas digitais.

Valentina Lisitsa está segura de que a palavra de ordem para lidar com a audiência de hoje é interação. Para ela, uma das grandes balelas do senso comum é dizer que a música clássica está morrendo porque só os velhos escutam. “Isso não é verdade, hoje em dia, com toda tecnologia existente, as pessoas escutam música de uma maneira como jamais ouviram”, assegura.

O desafio, enfatiza, está no modo como a produção clássica se transforma. Pela análise de Valentina, parte significativa da criação contemporânea tem sido absorvida pelo cinema. “Uma coisa que sempre foi importante para as pessoas é a melodia. Algo que você pode reconhecer instantaneamente. É o que marca as músicas mais conhecidas e normalmente esses momentos são muito simples. Acho que essa simplicidade está migrando para os filmes”, propõe. Ela, no entanto, em seu repertório de concertos e discos, tem preferido se dedicar aos compositores que já estão na história.

Rede erudita

O canal de Valentina Lisitsa no YouTube é considerado um dos mais populares entre os vídeos dedicados à música clássica. Além de trechos de apresentações, a artista também usa o espaço para divulgar mais sobre os compositores que interpreta e até brinca com eles. Em 1º de abril, por exemplo, em meio ao lançamento da série de CDs dedicados a Rachmaninoff, ela publicou um vídeo batizado “Eu odeio Rachmaninoff”. Óbvio que era um chiste com o dia da mentira. Desde que foi criado, o canal contabiliza mais de 30 milhões de visualizações.

Principais álbuns

» 1997 – Virtuosa Valentina!
» 2008 – Valentina             
» 2011 – Charles Ives: four sonatas        
» 2011 – Permit me voyage    
» 2012 – Live at the Royal Albert Hall     
» 2012 – Rachmaninoff: Piano concerto nº 2         
» 2012 – Rachmaninoff: Piano concerto nº 3         
» 2013 – Rachmaninoff: Paganini rhapsody         
» 2013 – Rachmaninoff: Piano concerto nº 1    
» 2013 – Rachmaninoff: The piano concertos    
» 2013 – Rachmaninoff: Moments musicaux
» 2013 – Piano recital: Valentina Lisitsa
» 2013 – Rachmaninoff: Piano concerto nº 4

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE PENSAR