Mesmo com alta no desemprego, número de bilionários aumenta no Brasil

Número de bilionários aumentou no país para 65 pessoas, conforme levantamento, e brasileiro do top 1 no Brasil ocupa a 114 posição no ranking mundial

21/09/2021 13:21
Pixabay
(foto: Pixabay)
 
A alta do desemprego no Brasil segue crescendo, somando quase 15 milhões de pessoas procurando emprego até o primeiro semestre deste ano, segundo o IBGE. Mas uma coisa também está em alta: o número de bilionários no mundo. 
 
A lista das pessoas que acumulam nove casas decimais após a vírgula cresce cada vez mais, e mais de 80% dessa lista está aumentando sua fortuna.
 
No ano passado, apesar do PIB retrair em quase todos os países, alcançamos um recorde antes nunca visto: a cada 17 horas, uma nova pessoa se tornava bilionária, além da fortuna da maioria estar crescendo. 
 
Os seguintes dados são da revista Forbes, que publica anualmente a lista com as pessoas mais ricas do mundo. 
 

O aumento dos bilionários: as razões que explicam esse fenômeno 


O economista Eduardo Fagani, em conversa com a  Betway , site de caça níqueis online, afirma que uma das razões que ajudaram no aumento de bilionários e suas respectivas rendas é o mercado em seu formato atual, que valoriza as ações e cresce cada vez mais as criptomoedas.
 
Eduardo, também professor de economia da Unicamp, ainda cita que hoje em dia a riqueza não vem da produção de mercadoria física, vindo, em sua maioria, de universos ativos, capitais abstratos e especulação financeira. De um lado, se reduz os gastos, aumentando consequentemente a riqueza.
 

Recorde brasileiro de novos bilionários


A lista dos maiores bilionários do mundo de 2021 trouxe um recorde brasileiro, 65 brasileiros na relação  publicada no blog da Betway . Em primeiro lugar, está o empresário Jorge Paulo Lemann com 16.9 bilhões de dólares.
 
Em segundo, Eduardo Saverin, cofundador do Facebook ao lado de Mark Zuckerberg, acumulando quase 15 bilhões de dólares. Eduardo também é um dos brasileiros mais jovens da lista, com 39 anos.
 
A terceira posição é ocupada por Marcel Herrmann Telles e a quarta por Jorge Moll Filho. Marcel tem uma fortuna estimada em 11.5 bilhões, enquanto Jorge Moll tem uma fortuna de 11.3 bilhões. 
 
O top 5 de bilionários brasileiros é fechado por Carlos Alberto Sicupira, com patrimônio avaliado em 8.7 bilhões. O mais rico do Brasil está na posição 114 do ranking mundial.
 
No Brasil, a divisão geográfica dos bilionários acompanha a participação do PIB pelos estados. São Paulo conta com 128 nomes, seguido de Santa Catarina, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Os maiores bilionários do mundo


A lista dos maiores bilionários do mundo teve quase 500 novos nomes, com quase 2800 bilionários de 70 países. A fortuna total acumulada entre os nomes dessa lista é de 13,1 trilhões de dólares em 2021, enquanto 2020 era de 8 trilhões de dólares, um aumento de quase 64% da fortuna.
 
O maior bilionário do mundo é Jeff Bezos, fundador da Amazon, com uma fortuna avaliada em 195 bilhões de dólares. A surpresa da lista de 2021 foi Elon Musk, CEO de empresas como a Tesla Motors. 
 
Em 2020, o excêntrico executivo figurava na 31ª posição, pulando para a 2ª posição em 2021, com uma fortuna avaliada em 193 bilhões de dólares. A terceira posição fica com Bernard Arnault, francês dono de uma companhia de artigos de luxo e moda, a LVMH, com uma fortuna estimada em 179 bilhões de dólares.
 
Bill Gates, fundador da Microsoft, e Mark Zuckerberg, um dos fundadores do Facebook, completam o top 4 e 5 dos maiores bilionários do mundo. Eles possuem fortunas de 152 bilhões e 133 bilhões de dólares, respectivamente.

Estados Unidos x China: quem é o maior berço dos bilionários? 


Segundo levantamento da Betway, dos 493 novos bilionários de 2021, 42% são da China ou de Hong Kong. Mesmo que os Estados Unidos tenham mostrado um aumento de 18% dos bilionários entre 2020 e 2021, a China apresentou um aumento de 53%.
 
Por mais que os Estados Unidos ainda tenham mais bilionários, com 724 americanos na lista, a diferença entre as duas superpotências vem caindo. Além disso, vale destacar que Nova York perdeu o posto de cidade que abriga mais bilionários para Pequim, capital da China.

Qual é o segredo dos bilionários?


Conforme apontado no levantamento da Betway mostra, os motivos para acumular tanto dinheiro são diversos. O site aponta que é preciso esforços pessoais e ideias disruptivas, bem como ser empreendedor, persistir, ter sensibilidade em relação à filantropia e também aprender com as falhas.
 
Além disso, de acordo com o economista Fagani, na publicação do site de cassino online, estamos em um período de hegemonia dos mercados. Grandes corporações e multinacionais podem investir em países com impostos e tributos menores, bem como com a oferta de mão de obra mais barata e qualificada.

Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: 

MAIS SOBRE NEGÓCIOS