A hora e a vez das saladas

Cada vez mais preocupadas com a boa alimentação, muitas pessoas estão aderindo às saladerias, que caíram de vez no gosto dos mineiros

08/05/2018 10:00
Ramon Lisboa/EM/D.A Pres
O proprietário da marca Horta 31, Luiz Gustavo, entre os franqueados Hugo Coimbra Barbosa e Luiz Felippe Barbosa, que apostaram na alimentação saudável (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Pres)
Uma das grandes vantagens do fast food de saladas´é que ele permite aos clientes montarem o prato de acordo com o próprio gosto. Nos bufês, dispostos com dezenas de ingredientes, é possível encontrar desde folhas, como alface e rúcula, a grãos, passando pelas verduras, legumes e proteínas. As listas de molhos também são bastante variadas. Na verdade, as saladas também são ótima opção para os períodos mais quentes, pois são saborosas, nutritivas e leves.

Em Belo Horizonte, Luiz Gustavo Moreira e Guilherme Astone são os proprietários da marca Horta 31. “Abrimos a empresa em maio do ano passado, trazendo um modelo de negócio totalmente inovador para BH. Percebemos o quanto era mais fácil e acessível encontrar opções de restaurantes saudáveis e o quanto a cidade precisa evoluir nesse aspecto”, conta Luiz. “Unimos a oportunidade de negócio e decidimos que toda a identidade do Horta 31 seria voltada não só para a valorização da alimentação saudável fresca, prática e de qualidade, mas também para a valorização de BH. Nosso nome é formado pelo DDD do estado, para reforçar que somos os primeiros a trazer esse modelo de negócio para cá e que temos muito orgulho de ter criado a empresa em BH.”

Luiz explica que o investimento inicial foi inferior a R$ 150 mil. “Sobre o payback (retorno do capital investido) do negócio, podemos dizer que é inferior a 12 meses”, garante. “Começamos na Savassi, em maio do ano passado, e hoje contamos com duas lojas próprias. O movimento e o retorno são tão positivos que já foram abertas franquias em outros bairros, estando previstas mais quatro unidades, sendo uma própria e três franquias. Até o final do ano serão 10  lojas”, adianta o empresário.

Ele esclarece que o tíquete médio varia de R$ 15 a R$ 18. “O que é um valor bem acessível na comparação com outros restaurantes do segmento de alimentação saudável. Estamos trabalhando também com o delivery e tendo uma resposta positiva. O atendimento é feito em um balcão de vidro, em que o cliente escolhe entre mais de 50 ingredientes frescos, dispostos pelo atendente no prato, entregue na mesma hora, seguindo a linha dos restaurantes fast food. Além das saladas, montadas a partir da escolha do cliente, com ingredientes extremamente frescos, entre folhas, proteínas, frutas secas, castanhas e sementes, a Horta 31 oferece saladas de fruta, iogurte com sementes e castanhas e sucos naturais.”

Luiz ressalta que o cliente também tem a opção de levar os produtos para casa. “Somos adeptos da logística reversa de embalagens: quem traz a embalagem de volta ganha R$ 1 de desconto na compra da próxima salada”, explica. Seguindo essa linha, também privilegiamos materiais reciclados na decoração dos restaurantes. Foi tudo pensado visando à  sustentabilidade, desde a arquitetura, com mesas e decoração em madeira de reflorestamento, até na decoração, com vasos de planta recicláveis que viraram lustres.”

Os empresários Hugo Coimbra Barbosa e Luiz Felippe Barbosa optaram por montar uma franquia da Horta 31 no Bairro Floresta. A loja foi aberta há seis meses e funciona de segunda a sexta, das 11h às 22h, e aos sábados, das 11h às 16h. “A cobrança é feita no quilo. O sistema é parecido com o self-service, no qual nossas funcionárias, por questão de higiene, servem os clientes à escolha deles, sendo que eles mesmo controlam a quantidade”, esclarece Hugo.

Horta no Potim/Divulgação
Dandara Saraiva, fundadora da Horta no Potim, aposta no ramo do delivery e pretende criar um modelo de microfranquias (foto: Horta no Potim/Divulgação )
“Entrei no ramo influenciado por um amigo e por acreditar cada vez mais na mudança de hábitos das pessoas. A rotina saudável está presente, cada vez mais, no nosso dia a dia e os ideais propostos pela Horta 31 contribuem diretamente para essa mudança. A empresa tem uma grande preocupação com o frescor e com a qualidade dos alimentos servidos aos clientes e recebemos, diariamente, os produtos de nossos fornecedores. Assim, cuidamos da melhor forma até chegar ao consumidor final. Acredito também que o grande diferencial da Horta 31 seja o foco na qualidade dos produtos e atendimento”, garante Hugo, que hoje conta com cinco colaboradores.

O empresário, que pretende abrir outra unidade, garante que o faturamento da loja é bom e ressalta: “O mercado tem crescido bastante. Estão surgindo muitas saladerias após a criação da Horta 31. É um ramo que tem tudo para crescer cada vez mais  devido à necessidade de termos hábitos mais saudáveis. Com certeza, o investimento é válido. Acredito que, para vencer nesse ramo, seja importante oferecer produtos sempre frescos e de qualidade, tratando o cliente sempre em primeiro lugar. É necessário atentar também para as demandas saudáveis e de novos produtos que surgem diariamente e tentar adequar ao que servimos.”

Apostando no ramo, a marca Horta no Potim também está lançando sua franquia. A empresa, especializada em delivery de refeições completas e saudáveis, saladas no pote, entre outros, entra numa nova fase, prestes a lançar a loja física da marca. Dandara Saraiva, fundadora da empresa, explica que o desejo é trabalhar com microempresários, com investimento relativamente baixo, cerca de R$ 60 mil. Com esse valor, já estão contemplados a abertura da loja, o capital de giro e os materiais que são necessários para isso.

Ela explica que, dentro do plano de negócios para este ano, o objetivo é construir um modelo de microfranquias, com unidades da Horta no Potim que serão trabalhadas nos bairros da capital, com foco no pequeno investidor. Para isso, a marca já está em fase de entrevistas com interessados em investir. “A ideia é conseguir pessoas que queiram investir no próprio negócio, com uma gestão muito mais simples, porque, com exceção da venda, a própria Horta no Potim vai realizar toda a gestão do negócio. Faremos tudo, desde a entrega dos produtos nos pontos, tanto as saladas prontas da HNP, quanto as saladas para montar na hora, no formato das saladerias que têm crescido em BH”, ressalta a empresária.

De acordo com Dandara, a ideia é fazer com que a pessoa não se preocupe com nada, apenas com a venda dos produtos. “O modelo das lojas da Horta no Potim terão entre 15 e 30 metros quadrados e o foco é trabalhar com o público bairrista. Nosso foco é trabalhar a marca HNP nos bairros de Belo Horizonte, pois não estamos focados nos grandes centros”, garante. A seleção de investidores já está começando a ser feita e as entrevistas agendadas.

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE NEGÓCIOS