Young Lights faz show para lançar novo disco, um 'álbum visual' com imagens recebidas dos fãs

Nesta sexta-feira (15), a banda mineira vai ao Galpão Cine Horto e toca ao lado do grupo carioca Baleia

por Guilherme Augusto* 15/12/2017 09:54

Breno Galtier/Divulgação
Projeto da banda mineira Young Lights mescla música, estética e comportamento. (foto: Breno Galtier/Divulgação )

A história da banda mineira Young Lights não é exceção na cena de BH. O grupo de indie rock reúne jovens apaixonados por música que criam canções autorais e honestas. Essas qualidades estão presentes no disco Young Lights, lançado nas plataformas digitais em 30 de novembro. Nesta sexta-feira (15), o quarteto faz o show de estreia do trabalho, no Galpão Cine Horto, ao lado do grupo carioca Baleia.

Formada em 2010, a Young Lights nasceu como projeto de Jay Horsth. Sozinho, ele lançou o EP An early winter (2013) e o disco Cities (2014). Embora sempre tenha contado com músicos de apoio, apenas em 2015 a banda passou a ter integrantes definitivos: Vitor Ávila (guitarra), João Paulo Pesce (baixo) e Gentil Nascimento (bateria). Desse encontro nasceu o autointitulado segundo disco.

“No início de 2016, começamos as pré-produções”, conta o vocalista Jay. “Eu e João fomos morar juntos, fizemos um estúdio na sala da casa e começamos a passar os fins de semana lá, gravando as bases e escolhendo as músicas que entrariam no álbum”, detalha. O primeiro single, Understand, man, saiu em janeiro de 2017.

 

 

Apresentado sábado passado (8), na capital paulista, durante a noite mineira da Semana Internacional da Música de São Paulo (SIM), o “grande lançamento” está reservado para BH. “Sem dúvida, será o melhor show da minha vida, é algo bem simbólico pra mim e para o resto da banda. Vamos, finalmente, mostrar novos show, estética, comportamento e, principalmente, músicas que nunca tocamos ao vivo”, adianta Jay.


Entre as faixas do disco – todas cantadas em inglês – está o segundo single, Old and gray, bem como Fast heart, com a participação do brasiliense Gustavo Bertoni, da banda Scalene. As músicas de Young Lights seguem a regra básica do folk norte-americano, unindo letras sobre o cotidiano a sons orgânicos, que, por vezes, tornam-se grandiosos.

Diferentemente do EP e do primeiro disco, o novo trabalho traz sonoridade mais cheia e convidativa – menos fria, mas, ainda assim, densa. Destaque para as guitarras das faixas Chasing ghosts e Strangely intimate. Eyes closed dá o tom melancólico, enquanto a música seguinte, Love, you let go, ganha sucessivas camadas sonoras e termina num silêncio abrupto. Singing bird (In a cage), que fecha o álbum, é orgânica e traz um tom esperançoso.

Além de ter sido disponibilizado nas plataformas digitais, Young Lights foi lançado em formato “álbum visual”, no YouTube. No vídeo, a banda associa as músicas a imagens analógicas antigas recebidas de amigos e fãs. “Queria fazer algo simples que desse expressividade maior ao disco. As pessoas têm a oportunidade não só de ouvi-lo, como também de vê-lo”, argumenta Jay.

 

LIVRO A mesma lógica está por trás do disco Atlas (2016), do Baleia. O grupo transformou o trabalho em uma espécie de “álbum livro”, cujas canções foram traduzidas em ilustrações e histórias desenvolvidas em parceria com a ilustradora Luisa Akerman. 


“Atualmente, o CD se tornou muito mais um objeto em si do que o suporte a partir do qual as pessoas escutam música”, afirma a vocalista Sofia Vaz. “Nossa ideia foi pensar esse trabalho como um objeto de arte visual”, diz.

O grupo é formado por Sofia, Cairê Rego, David Rosenblit, Felipe Ventura, Gabriel Vaz e João Pessanha. No show desta sexta, Baleia apresentará canções de Atlas e de seu disco de estreia, Quebra azul (2013).

 

Abaixo, confira o 'álbum visual' Young Lights

 


YOUNG LIGHTS E BALEIA

Sexta-feira (15), às 20h. Show de abertura: Arthur Melo. Galpão Cine Horto. Rua Pitangui, 3.613, Horto. R$ 50 (inteira), R$ 25 (meia-entrada) e R$ 30 (promocional). Vendas on-line no site Sympla e na bilheteria da casa, a partir das 18h.

Informações: (31) 3481-5580.

 

* Estagiário sob supervisão da editora assistente Ângela Faria 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE MUSICA