Festival celebra o forró em Belo Horizonte durante o feriadão

Até sábado, maratona de forrozeiros vai animar a capital mineira

por Ana Clara Brant 12/10/2017 08:30
Elis Colombari/Divulgação
Chama Chuva é uma das atrações desta noite, na Serraria Souza Pinto (foto: Elis Colombari/Divulgação)

De hoje a sábado, Belo Horizonte vai se tornar a capital nacional do forró. Criado em 2002, o Festival Rootstock Brasil, que valoriza o ritmo de raiz, estreia na capital mineira depois de ser realizado em cidades do interior paulista. Além de shows de cerca de 30 artistas – Elba Ramalho, Flávio José, Mestrinho, Anastásia e Chambinho do Acordeon, entre outros –, a festa terá 18 DJs especializados no repertório nordestino, oficinas de dança, lançamento de livros, debates e palestras. A homenageada desta edição é Marinês (1935-2007), a Rainha do Xaxado.


Nesta quinta-feira à noite, vai se apresentar o grupo Chama Chuva, destaque do forró universitário, que estreou no fim dos anos 1990 em Itaúnas, no Espírito Santo. “Hoje, a banda é metade mineira e metade capixaba. A onda que invadiu o Brasil no início do ano 2000 veio com a gente e o Falamansa. Foi uma febre mesmo”, relembra o vocalista Mozão Muniz.

Um dos principais desafios do Chama Chuva, que vai lançar seu 10º disco em novembro, é modernizar algo tão tradicional. “A formação clássica é zabumba, sanfona e triângulo. Quando a gente começou, não tinha sanfona na banda. Queremos dar uma inovada, mas sem perder a essência. Vivemos em um país miscigenado, com influência de várias culturas. Por que não levar isso para o forró?”, afirma Muniz.

Chama Chuva promete apresentar um resumo de seus 18 anos de estrada, além de novidades do novo disco. “O festival é muito importante, porque valoriza a tradição e está homenageando a Marinês, um dos grandes nomes do gênero. Tem tudo a ver com BH, cidade que tem forró de segunda a segunda e de janeiro a janeiro”, diz Mozão. Estão programados para hoje shows de Flávio José, Coisa de Zé e Anastácia. Os DJs Vinny e Danilo Ribeiro vão animar o arrasta-pé.

FOLE Debate marcado para hoje, às 16h30, vai abordar o livro O fole roncou! Uma história do forró (Editora Zahar), escrito pelos jornalistas Rosualdo Rodrigues e Carlos Marcelo Carvalho, diretor de redação do Estado de Minas.

A dupla reconstitui a trajetória do forró e de seus artistas – entre eles Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Marinês, Dominguinhos, Trio Nordestino, Genival Lacerda, Anastácia, Antonio Barros e Sivuca. Carlos Marcelo participará de sessão de autógrafos.

Também nesta quinta-feira, Marcos Farias, filho de Marinês, vai falar sobre a obra da mãe. Pioneira, ela se consagrou nos anos 1950 no universo do forró, enfrentando o machismo e o preconceito.

FESTIVAL ROOTSTOCK

De hoje (12/10) a sábado (14/10), das 10h às 5h. Serraria Souza Pinto, Av. Assis Chateaubriand, 809, Centro, (31) 3213-3400. Ingressos: R$ 80 (avulso) e R$ 230 (passaporte/três dias). Programação completa: http://festivalrootstock.com/edicao-2017-2017-edition/

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA