Conheça dicas para ter pernas saudáveis e bonitas

Aspectos das várias fases da vida e hábitos do cotidiano interferem diretamente na saúde e na beleza da parte do corpo que fica em evidência e ganha atenção extra no verão; especialista indica cuidados

por Anna Marina 18/10/2017 09:46

Venavascular/reprodução
(foto: Venavascular/reprodução)

Embora a idade seja um dos principais fatores associados ao aparecimento de varizes – veias dilatadas e tortuosas que perderam sua função causando danos estéticos e danos circulatórios –, a genética tem um papel fundamental. Segundo a especialista Aline Lamaita, membro do conselho da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, alguns hábitos também podem agravar a situação. A presença de varizes na infância é um evento raro, mas sempre que forem visualizadas veias anômalas em uma criança é preciso fazer uma avaliação mais completa para descartar hemangiomas, malformações vasculares ou outras causas. Após o diagnóstico, o tratamento de varizes nessa fase costuma ser mais conservador, com incentivo à prática esportiva e acompanhamento com cirurgião. “Depois da primeira menstruação ou início de uso de pílulas anticoncepcionais, na adolescência, devemos ficar mais atentos, pois é nesse momento que a doença pode se manifestar de forma mais evidente”, alerta a médica.

Aos 20 anos surgem muitas mudanças, como o uso de anticoncepcional, faculdade, começo da vida profissional e, muitas vezes, a correria do dia a dia. Isso faz com que coisas importantes sejam deixadas de lado, como o cuidado com a alimentação, atividade física e o check up médico, que sempre vai ficando para depois. Pessoas com tendência a varizes, aos 20 anos já começam a mostrar alguns sinais, como vasinhos, veias muito aparentes, cansaço e inchaço.

A maioria das mulheres passa por duas etapas importantes da vida aos 30 anos: estabilização da profissão, que geralmente significa jornadas de trabalho mais longas, sobrecarregando o sistema circulatório; a decisão de ampliar a família, o que implica uma gestação, e acaba por dar um estresse a mais para o sistema venoso. Além disso, nessa fase da vida, se a predisposição genética existir, há uma grande probabilidade de piora das varizes. Por isso, é imprescindível que exista uma consulta com cirurgião vascular antes de iniciar a gestação para preparar as pernas para essa jornada. É sempre preferível realizar dois procedimentos menores (quando necessário), um antes e outro depois da gestação, do que postergar o tratamento e correr o risco de ter que realizar um procedimento bem maior depois que os filhos nascerem.

A partir dos 40 anos surgem os sinais do envelhecimento e é a fase em que se começa a perceber, aos poucos, o peso da idade. Existe uma perda gradativa de massa magra e aquela panturrilha, que sempre funcionou bem, começa a perder fibras musculares. Além disso, as veias começam a envelhecer como todos os outros órgãos do corpo – e as veias envelhecem se dilatando. A conclusão é: nessa fase, provavelmente o inchaço, o cansaço no final do dia e a piora do aspecto estético das pernas devem alcançar você.

Alimentação balanceada associada à prática de exercícios físicos, com o objetivo de ganhar musculatura, são boas dicas para balancear os efeitos do tempo. Os 50 anos, a mulher passa por teste importante no sistema venoso. Quando os hormônios caem a doença venosa também deve dar uma estabilizada. A associação de perda de massa muscular, dilatação das veias e falta de mobilidade torna o idoso uma pessoa propicia para o inchaço, retenção de líquido, dores e cansaço nas pernas. Hematomas espontâneos são bastante comuns. Em idosos que apresentam muitas varizes e vasinhos, por causa da pele mais fina, vasinhos e ressecamento podem levar a sangramentos localizados, que costumam causar grande preocupação.

VÍDEOS RECOMENDADOS