Saiba o que será fashion no inverno'2018

Nos desfiles do Minas Trend, grifes de vestuário mostraram as apostas dos criadores para uma temporada que será recheada de diversidade de materiais que combinam com o clima de frio no Brasil

por Celina Aquino 09/10/2017 11:37

Zé Takahashi/Agência Fotosite/divulgação
Plural; LED; Lucas Magalhães (foto: Zé Takahashi/Agência Fotosite/divulgação)

As baixas temperaturas podem até não agradar, mas, sem dúvida, há uma elegância a mais nos looks de inverno. Os desfiles da Minas Trend mostraram várias maneiras de se vestir na próxima estação, tanto para mulheres como para homens. Nesta edição, a moda masculina foi explorada por quatro das 11 marcas. Na passarela, texturas que vão do jeans ao couro, do tricô ao moletom.

 

A Plural investiu em diferentes texturas para desenvolver roupas com a cara do inverno. Franjas de fios de algodão dispostas em camadas com tons diferentes, veludo molhado e tricô feito com tiras de moletom estão entre as apostas da marca. O tricô também apareceu no desfile da LED, só que de uma forma irreverente, cheia de cores, para vestir os mais descolados.

 

Fora o tricô, ícone da marca, o estilista Lucas Magalhães trabalhou com pelo sintético (tingido para criar um efeito estampado) e moletom para aquecer as mulheres no frio. Na primeira coleção depois de sua saída do Grupo Nohda (formado agora por Patrícia Bonaldi, PatBo e Apartamento 03), ele criou uma peça que está entre uma camisa e um casaco, com pequenos babados e abertura nas costas.

 

Zé Takahashi/Agência Fotosite/divulgação
Natália Pessoa; Bobstore; Ronaldo Silvestre (foto: Zé Takahashi/Agência Fotosite/divulgação)

Como era de se esperar, o moletom dominou o desfile da Molett. A surpresa ficou por conta da mistura desse material com uma camada de plástico em peças que ganham um brilho molhado. Capas e ponchos que quase se arrastam no chão ajudaram a reforçar o conceito de conforto defendido pela marca.

 

No inverno da Natália Pessoa, casacos ultracompridos dividem espaço com jaquetas que compõem looks de cropped e cintura alta (em saias curtas e mídi ou rodadas e ajustadas ao corpo), deixando a barriga um pouco à mostra. A estilista que dá nome à marca inovou ao levar para o tricô bordados com maxilantejoulas e acabamento com efeito de vinil molhado.

 

O estilista Ronaldo Silvestre continua a provar que jeans vai muito além da calça básica. Usando descartes da indústria têxtil, ele mistura o tradicional tecido com seda artesanal e tule, criando formas e texturas com identidade própria. Já a Bobstore, que fez a sua estreia com a nova dupla de estilista, Samuel Santos e André Bofano, reafirmou o couro como curinga no frio. Em meio a cores neutras, o conjunto mostarda de jaqueta e saia roubou a cena.

 

Zé Takahashi/Agência Fotosite/divulgação
Anne est Folle; Manzan; Unity Seven (foto: Zé Takahashi/Agência Fotosite/divulgação)

DESENHOS As estampas não vão ficar de fora do inverno. Os florais aparecem bastante coloridos na coleção da Anne est Folle. Além de peças fluidas de seda, que fazem parte da identidade da marca, conjuntos de casacos compridos com calças justas, que formam um mix harmonioso de desenhos. A Chocker explorou imagens de pierrots, Arlequins e Colombinas em uma coleção cheia de estampas que colorem peças basicamente em preto, branco e azul.

 

Na passarela, duas propostas diferentes de roupas de festa, que não muda tanto com a chegada do frio. De um lado, a Manzan, conhecida pelos vestidos completamente bordados (que desta vez estavam até nas toucas que tampavam o rosto das modelos). Do outro, a Unity Seven, que defende uma moda mais clean. Tecidos estruturados com muitos babados contrastam com vestidos fluidos de estampas florais.

VÍDEOS RECOMENDADOS