Zezé di Camargo diz que Brasil não teve ditadura militar: 'nós vivíamos num militarismo vigiado'

Declaração polêmica foi dada à jornalista Leda Nagle em um programa no Youtube. O artista acredita que aquela fase em que torturas e mortes foram registradas "não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta"

por Benny Cohen 12/09/2017 07:47

Wikimedia Commons
(foto: Wikimedia Commons)

O cantor Zezé di Camargo voltou a ser notícia. Mas, desta vez, não por um novo hit sertanejo.

Agora, Mirosmar José de Camargo, nome verdadeiro do artista, que faz dupla com o irmão Luciano, resolveu brilhar sozinho com uma declaração polêmica ao programa da jornalista Leda Nagle no Youtube (veja vídeo abaixo).

Zezé afirmou, com todas as letras, que o Brasil não viveu uma ditadura militar entre 1964 e 1985. "Nós não vivíamos numa ditadura, nós vivíamos num militarismo vigiado".

Já desconfiado de que a declaração seria polêmica, o goiano de Pirenópolis comentou antes de soltar a pérola: "Eu vou falar um absurdo aqui para você, as pessoas vão me criticar, jornalistas vão falar de mim, achar que sou um maluco."


Zezé di Camargo tem hoje 55 anos. Nasceu em 1962. Tinha, portanto, 2 anos de idade quando os militares deram o golpe que depôs o presidente João Goulart e iniciaram um período de restrições de direitos civis, de tortura e mortes. Mas o artista não vê assim: "O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura daquelas que ou você está a favor ou você está morto."

Para o cantor e compositor, "Ditadura é a Venezuela, Cuba viveu com Fidel Castro e até hoje vive, o Ceausescu, lá na Hungria, aquele povo lá na Coreia do Norte, China, esses são realmente ditadores. O próprio Chile, do Pinochet. A Argentina também viveu isso." No Brasil, segundo o "aspirante a cientista político" Zezé di Camargo, no Brasil, aquela fase dos militares no poder "não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta, como a gente vive até hoje, no mundo de hoje." E concluiu, seguro de si: "Eu imagino que o Brasil hoje precisaria passar por uma depuração. O Brasil até podia pensar no militarismo para reorganizar a coisa e entregar de novo, limpamos essa corja e está aqui o Brasil democrático de novo, como queria. Acho que o Brasil precisava passar por uma depuração dessas.”

A declaração de Zezé está dando o que falar. O nome do artista entrou para os Trending Topics do Twitter, na 8ª posição, até a atualização desta reportagem.

 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE MEXERICO