Pratos excêntricos estão no cardápio de diversas casas de BH; conheça!

O Divirta-se inspirou-se no best-seller Comer, rezar, amar, da escritora norte-americana Elizabeth Gilbert, para criar o roteiro Comer, rezar, beber em Belo Horizonte

por Ana Clara Brant 30/01/2015 08:00
Paula Huven/Esp./D.A.Press
Bacon Paradise: waffle com sorvete e farofa de bacon. Cardápio inusitado em BH (foto: Paula Huven/Esp./D.A.Press)
Que tal aproveitar o último fim de semana das férias e fazer programas inusitados e – por que não? – exóticos de Belo Horizonte?


O Divirta-se inspirou-se no best-seller Comer, rezar, amar, da escritora norte-americana Elizabeth Gilbert, que virou filme de sucesso estrelado por Julia Roberts, para criar o roteiro Comer, rezar, beber em BH. Deguste iguarias da culinária indiana como o talhi, que leva arroz frito, salada de iogurte caseiro, mutton roghan fosht (cordeiro), murg makhani (frango) e daal malika (lentilhas), no Restaurante Maharaj. Experimente o turbacon, prato para 25 pessoas – um verdadeiro banquete –, no Rima dos Sabores. Porco, chester, lombo, linguiça e bacon, tudo assado, costurado e desossado. Carne para ninguém botar defeito!

No quesito sobremesas, não faltam extravagâncias: no Bacon Paradise, um milk shake e um waffle têm como ingrediente principal... o bacon!.

Quem quiser bebericar algo diferente pode ir a o tradicional Maletta, no Centro, e se sentar no Dub. Um dos coquetéis mais pedidos por lá é o cinderela baiana, em homenagem a uma ex-funcionária arretada, servido num pote. O drinque tem vodca, refrigerante de gengibre, suco de cranberry e xarope de romã.

Nestes tempos de calor intenso, a cerveja cai bem, ainda mais se for artesanal. A Cervejaria Wäls oferece uma infinidade delas Dica interessante (com sabor mais ainda) é a witte bier, cerveja de trigo que leva cardamomo, cominho, coentro e pimenta da jamaica em sua composição.

Quem não curte álcool pode aproveitar a lanchonete Sabores e Ideias, no Mercado Central, para se refrescar com  refrigerantes exóticos. Lá tem o famoso guaraná rosa Jesus, do Maranhão; o Coroa, do Espírito Santo; o Abacatinho (feito com extrato de folha de abacate, em Ubá), além dos tradicionais Mate Couro e Mineirinho.

Depois de aproveitar os prazeres mundanos, você pode dar atenção a seu lado espiritual e frequentar um templo católico como a igreja mais antiga da capital, a capela de Nossa Senhora do Rosário, que ficou pronta em 1897, antes mesmo de Belo Horizonte. Ou a única mesquita de Minas Gerais, no Bairro Mangabeiras, próximo à Praça do Papa. Você pode também optar por um templo budista, autêntico espaço zen no Bairro da Serra. Confira as nossas dicas e bom passeio!

COMER

Armazém Parmeggiano  

Rua Senhora das Graças, 16, Cruzeiro, (31) 9943-1414. Aberto de quarta a sábado, das 18h à 0h; domingo, das 12h30 às 17h. A casa especializada em pratos a parmegiana é comandada pelo chef Ronaldo Rates. Há desde pedidas mais tradicionais, feitas com filé e frango, às inusitadas, preparados com avestruz e berinjela. Porém, o que tem feito mais sucesso é o parmegiana de lombo de porco. Dentre os acompanhamentos, arroz, batatas fritas, salada e purê de batata ou de moranga. O preço varia de R$ 45 a R$ 75. Pratos serves muito bem duas pessoas.

Baobar Gastronomia & Arte Africana
Rua 28 de Setembro, 476, Esplanada, (31) 3653-4244. Aberto às sextas e sábados, a partir das 18h. Depois do carnaval, volta a funcionar de quinta-feira a sábado, das 18h às 0h, e no domingo, das 12h às 18h. Instalado na sede da Casa África, o restaurante é comandado pelo cônsul do Senegal, Ibrahima Gaye. Com decoração descolada, oferece a culinária típica do país africano. Entre os destaques está o mafe: carne de boi ao molho de amendoim, legumes, arroz e salada (R$ 25). O cliente pode optar pelo prato com frango (R$ 22) ou com vegetais (R$ 20). Como tira-gosto, a sugestão é o acará, bolinho de feijão com vinagrete e camarão. A porção com 10 unidades sai a R$ 18.

Bacon Paradise
Rua Montes Claros, 1.004, Anchieta, (31) 3327-4333. Funciona de terça a sábado, das 18h às 0h. Outra unidade fica na Rua Teixeira de Freitas, 475, Santo Antônio, (31) 2531-1740. Aberta de terça a sábado, das 18h às 0h, e domingo, das 13h às 23h. O bar e hamburgueria foca todo o seu cardápio no bacon – inclusive, as sobremesas. O bacon fatiado faz sucesso, sobretudo enrolado em anéis de cebola empanados (R$ 26,90, porção). Porém, sua forma mais exótica – que não deixa de agradar aos paladares mais exigentes – é o milk-shake (bacon, sorvete e xarope maple syrup), a R$15,90. O waffle, com sorvete, calda de caramelo, banana, farofa crocante de bacon e xarope maple syrup, serve duas pessoas (R$19,90)

Maharaj
Rua Paraíba, 523, Funcionários, (31) 3055-3836. O restaurante funciona de terça a sábado, das 19h à 1h, e domingo, das 12h às 17h. Primeira casa indiana da cidade, fica no prédio do Consulado da Índia em BH. Proporciona uma verdadeira “viagem” à cultura e à culinária daquele país. Entre as iguarias está o talhi (R$ 72), prato servido na forma tradicional indiana, com arroz frito, raita (molho), naan (pão) e salada de iogurte caseiro. É composto por mutton roghan gosht (cordeiro), murg makhani (frango) e daal malika (lentilhas). Para a sobremesa, a sugestão é o gulab jamun (R$ 16): bolinhas de leite em calda com essência de rosas decoradas com amêndoas.
 
Rima dos Sabores
Rua Esmeralda, 522, Prado, (31) 3243-7120. Funciona de terça a sábado, a partir das 18h. Aberto em 2009, o cardápio do restaurante do chef Juliano Caldeira é apontado como um dos melhores de pratos exóticos da cidade. Dentre as sugestões está o Se comer avestruz... não dirija!: cubos de avestruz servidos em molho barbecue flambado na cachaça, acompanhado de cebolas empanadas. Custa R$ 52,90 e serve três pessoas. Feito apenas sob encomenda, o turbacon ficou famoso. Coloca-se dentro de um porco um chester desossado; dentro desse chester está um lombo suíno; dentro do lombo tem linguiça; e dentro da linguiça, bacon. “É tudo desossado. Aí você costura tudo e assa junto. Serve entre 20 e 25 pessoas. A pele fica muito crocante, tem muita carne e fica delicioso”, assegura Juliano. O turbacon sai a R$ 580. No cardápio de doces, a sobremesa “feijoada com doces e sorvetes” é a pedida (R$ 11,90). Além de ter visual muito bacana, o sabor não fica atrás. No lugar do feijão, bolinhas de chocolate e sorvete; no lugar da couve, hortelã; pé de moleque redondo para simular a calabresa; farofa de amendoim no lugar de farinha e bala de goma no lugar da laranja.

André Hauck/Esp.EM
Torre da mesquita islâmica no Bairro Mangabeiras (foto: André Hauck/Esp.EM)
REZAR

Sinagoga Tiferet Israel

Rua Rio Grande do Norte, 477, Funcionários, (31) 3224-2129. Aberta às sextas, às 19h, e sábados, às 9h30. A sede da Congregação Israelita Mineira, que foi fundada em setembro de 1996, é a única sinagoga progressista de Minas Gerais. Lá também funciona a Associação Israelista Brasileira e a Federação Israelita do Estado de Minas Gerais.


Mesquita Islâmica
Rua João Camilo de Oliveira Torres, 20, Mangabeiras, (31)3227-7157. Aberta às sextas, das 13h às 14h. Fundada em 1991, segue o modelo marroquino e surgiu para reunir muçulmanos que vinham orando isoladamente em salas na cidade. É a única mesquita do estado.

Capela Nossa Senhora do Rosário
Rua São Paulo, 759, Centro, (31)3271-2127. Aberta de segunda a sexta, das 8h às 20h; sábado e domingo, das 16h às 20h. Igreja mais antiga da capital, data de 26 de setembro de 1897, mesmo dia de inauguração do Parque Municipal Américo Renné Giannetti, a capelinha destoa das construções vizinhas com sua simplicidade e arquitetura eclética – um misto de traços clássicos, góticos e barrocos. Sua administração não está vinculada à nenhuma paróquia e isso faz com que ela opere de forma diferenciada: não há casamentos, batizados, crismas e outros ministérios paroquiais. Portanto, ela se volta para missas, orações, confissões e momentos de reflexão.

Templo Budista Zen das Alterosas
Rua Itaparica, 245, Serra, (31) 3227-1334 e 8716-2244. Horários de meditação: quinta, às 19h30, e domingo, às 19h. Fundado em 2012 pelo monge José Costa Mokugen Sensei, o templo pretende divulgar a transmissão correta, direta e una do dharma dos mestres Dogen e Keizan Jokin da escola Soto Zen do Japão. Elas têm como matrizes os tradicionais templos Eihei-ji e Soji-ji. É um autêntico espaço zen em estilo oriental, o primeiro de BH.

Ilê Axé Omo Obaluaê
Tenda Espírita Caboclo Sultão das Matas. Rua Sambeatiba, 68, Cachoeirinha, (31) 3444-6897. Fundado em 1970 e comandado pelo babalorixá e pai de santo José Augusto, Obaluaê é um terreirode candomblé e umbanda. As reuniões públicas ocorrem às segundas-feiras, às 20h. Encontros particulares são realizados durante toda a semana.


Andre Hauck/Esp.EM.
Lanchonete Sabores & Ideias, no Mercado Central, tem opções de refrigerantes pouco comuns, como o Guaraná Jesus, fabricado no Maranhão, e o Abacatinho (foto: Andre Hauck/Esp.EM.)
BEBER

Dub  

Edifício Arcângelo Maletta, Rua da Bahia, 1.148, 2º andar, Centro, (31) 3234-2405. Aberto de terça a sábado, das 18h à0h30. Localizado em um dos prédios mais tradicionais e boêmios da capital, o bar tem varanda com vista interessante e oferece drinques mais do que especiais. O cinderela baiana, por exemplo, é servido em potes. A bebida, que é uma das que têm mais saída na casa e leva vodca, refrigerante de gengibre, suco de cranberry, xarope de romã e tônica sai a R$ 21. Já o Brullésk (R$ 25) é uma delicada mistura de vodca de baunilha, vodca de pimenta, xarope de hibisco, abacaxi grelhado com especiarias e refri de gengibre.

Cervejaria Wäls
Rua Padre Leopoldo Mertens, 1.460, São Francisco, (31) 3443-2811. Sábado, das 11h às 17h. Para quem quer experimentar as mais variadas cervejas e produzidas artesanalmente, a Wäls é uma ótima sugestão. A filosofia da empresa é produzir cervejas com especiarias aromáticas, aromas mais frutados, paladar mais picante, rebuscado, texturas e cores diferenciadas. Uma dica é a Witte Bier, cerveja de trigo que leva cardamomo, cominho, coentro e pimenta da jamaica em sua composição. Outra cerveja com sabor exótico é a Petroleum, uma russian imperial stout, com 12% de álcool, produzida com diversos tipos de grãos escuros, corpo aveludado, licoroso e denso e aromas complexos de chocolate belga, café, toffee e caramelo. O chope de 300ml das duas cervejas sai a R$ 10 cada um, e a garrafa de 375ml de ambas também custa R$ 16 cada uma.

Gilboa
Rua Pium-í, 772, Anchieta, (31) 3568-6595. Terça a sábado, das 18h à 1h; domingo, das 16h às 0h. A casa que é do mesmo grupo do Jângal, outro empreendimento de sucesso para o público jovem, focou em coquetéis diferenciados e, sobretudo, em recipientes inusitados como regadores, xícaras e bules. O drinque da casa, o gilbeer, é uma infusão de rum com especiarias, vodca, ginger beer, monin lichia, cerveja e espuma de gengibre (R$26) e é servido num regador. O Vera Verão (Gilbule), tem melancia, pisco, bombay gin ou vodca, aperol, ginger beer, monin lichia, hortelã e limão (R$20), e pode ser servido no bule. Outra opção é o Gilboonda, uma infusão de rum com especiarias, hortelã, citrus, angostura bitters e limão (R$18), ideal para os dias mais quentes.

MeetMe
Rua Curitiba, 2.578, Lourdes, (31) 3297-0909. Terça e quarta, das 18h às 0h; quinta à sábado das 18h à 1h e domingo das 17h às 23h. O mixologista da casa Tiago Santos criou drinques inusitados, refrescantes e saborosos. Em alguns, é necessário todo um ritual para se degustar. O Black cherry é composto por vodca, suco de amarena, infusão de capim limão, polpa de maracujá, xarope de açúcar e muito gelo. O Criminal, mais doce e extremamente aromático, é composto por amarula, suco de pera, kiwi, manjericão, Jack Daniels, raspa de chocolate meio amargo e noz moscada. Já o Gold rush leva Jack Daniels, vodca, polpa de abacaxi, suco de limão, xarope de açúcar e vermute bianco (martini). A decoração chama bastante atenção, já que traz um palito de abacaxi tostado, um pau de canela aceso e uma carta de baralho estilizada. Todos os coquetéis com vodca nacional saem a R$ 18 cada um e com vodca importada, a R$ 26.

Lanchonete Sabores & Ideias
Loja 237 A, Mercado Central, Avenida Augusto de Lima, 744, Centro, (31) 3274-9686. Terça a sexta, das 9 às 18h, sábado, das 9h às 17h e domingo, de 9 às 13h. A lanchonete oferece lanches, sucos e principalmente refrigerantes e tubaínas de vários cantos do país ,como o lendário Jesus, do Maranhão, que tem 17 ingredientes, dentre eles, cravo e canela; o Abacatinho (feito com extrato de folha de abacate; de Ubá), o Pon Chic Sabor, de Divinópolis, feito de guaraná e abacaxi e o Guaranita, de Passa Quatro, que leva água gasosa e guaraná. O preço dos refris varia entre R$ 3 a R$ 6. São servidos na latinha ou na garrafinha.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA