Beber ou degustar?

Aprenda sobre como degustar a sua cerveja preferida

05/05/2013 14:56
Rodrigo Ferraz, proprietário do Haus München e apreciador de cervejas

Quando você se reúne com amigos para um encontro ou comemoração, certamente bebem uma cerveja, não? Raramente, ouve-se alguém dizer que vai degustar uma bebida, seja ela qual for. Neste artigo, vou lhe fazer um convite: que você aprenda um pouco sobre como degustar a sua cerveja preferida e veja como o processo, desde a escolha do rótulo até o primeiro gole, pode ser uma experiência diferente e prazerosa, mas sem que você se torne um “bierchato”.

Se você se dedicou à escolha de um tipo ou marca da bebida, não vai se sentar à mesa e ir, de imediato, enchendo o copo. Alguns detalhes antes de saborear a cerveja fazem toda a diferença.

Para começar, certifique-se de que a cerveja está na temperatura adequada. Se ela estiver extremamente gelada, poderá prejudicar seu paladar, inibindo as papilas gustativas. Para cervejas mais claras e leves, a temperatura ideal é de quatro a seis graus e para as cervejas mais escuras, de 6 a 9 graus. Algumas cervejas com alto teor alcoólico podem, inclusive,ser servidas à temperatura ambiente.

Além disso, usar o copo específico para cada tipo de cerveja pode otimizar a experiência da degustação, como já abordamos recentemente nesta coluna. O jeito de encher o copo também interfere no sabor da bebida. Uma forma simples de servir a cerveja é inclinar o copo 45 graus e ir diminuindo a velocidade à medida que a espuma começa a se formar.

Em qualquer experiência gastronômica, o visual é o primeiro contato com o que será degustado. E no universo cervejeiro não é diferente. Comece olhando a cor da sua cerveja (que vai do amarelo-claro até a cor preta), sua transparência (cristalina ou opaca?) e limpidez (o líquido brilha ou tem alguns resíduos?). Em seguida, observe a espuma: se ela é densa, com bolhas finas ou grandes; a sua coloração (que vai do branco, passando pelo creme até os tons de marrom) e a sua formação (se é consistente ou se a espuma diminui com facilidade).

A segunda fase da degustação de uma cerveja é a olfativa. Afinal, mais de 80% das nossas sensações de gosto são percebidas pelo olfato. Sinta o cheiro. É nesse momento que percebemos e associamos os aromas da cerveja com outros alimentos, por exemplo, especiarias, adocicados, frutados, entre outros.

Em seguida, passamos para a análise gustativa da cerveja. Um dos pontos mais importantes a serem analisados é o amargor. Avalie se o gosto é doce, salgado, amargo, azedo; sinta o sabor do malte; perceba se a sensação do líquido é de acidez ou adstringência e se alguma dessas características se destaca mais do que outra. E a sensação da cerveja na boca, como você descreveria? Leve, encorpada, cremosa? São muitas as informações que podem ser abstraídas ao degustar uma cerveja.

Aprimorar o paladar é uma experiência sensorial interessante que nos permite apreciar a cerveja e saborear seus prazeres por completo, com todos os sentidos. Depois de conhecer um pouco sobre a degustação, imagino que você verá a cerveja de uma outra forma. A partir de agora, não beba cerveja, deguste-a!

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA