Reduto da Cerveja, no Bairro Carmo, tem cervas que custam entre R$ 5,70 e R$ 200

Lançada como loja de cerveja, espaço foi "obrigado" a virar bar

por Eduardo Tristão Girão 29/03/2013 08:00
André Hauck/Esp. EM/D A Press
Entre as estrelas da casa a Faxe, dinamarquesa que estava sumida das prateleiras mineiras há cerca de 15 anos (foto: André Hauck/Esp. EM/D A Press)
Era só uma loja de cerveja, acanhada por fora e recheada por dentro. Mas quis o destino (e os imprevisíveis caprichos do mercado de BH) que o Reduto da Cerveja, inaugurado em abril de 2011, virasse um bar. A freguesia não se limitava a comprar e levar para casa: se amontoava para beber por ali mesmo. Petiscos foram improvisados e não tardou para que outra unidade fosse aberta, em novembro passado, no shopping Woods. E a terceira, no Carmo, abriu as portas recentemente.

Leia mais sobre gastronomia no Blog do Girão

Com capacidade para 170 pessoas, a nova casa tem ambiente simples, com mesas de madeira, piso de cimento queimado e placas de cerveja nas paredes. Ela ocupa o imóvel onde antes funcionaram os bares BH Beer e Empório do Zé. O cardápio demonstra que, além de 400 rótulos de cervejas nacionais e importadas (cerca de 320 estão disponíveis, entretanto), há cozinha para preparar petiscos variados. Já o balcão, ostenta 18 bicos de chope (sendo 14 variedades).

“Para atender todo mundo, pegamos muitas cervejas, mesclando rótulos diferentes com aquilo que a gente sabe que dá retorno. É uma seleção mais simples, sem muita complicação, priorizando o que achamos que tem potencial. O mineiro é um público pequeno e que aceita bem as curiosidades. Se a gente fala que tem novidade, as pessoas já vêm querendo conhecer e logo a cerveja acaba. As long necks de até R$ 25 saem sem problemas. Acima disso, as pessoas começam a pensar”, diz o proprietário Daniel Cosendey.

 Curiosamente, a cerveja mais barata e a mais cara são mineiras: a pilsen Bäcker custa R$ 5,70 (long neck) e a sour ale de jabuticaba Falke Bier Vivre Pour Vivre, R$ 200 (750ml). Entre elas há uma infinidade de curiosidades na carta, a começar por outra mineira, a recém-lançada Wäls Saison de Caipira (R$ 20, 375ml), elaborada com cana de açúcar em parceria com o renomado mestre cervejeiro norte-americano Garrett Oliver. Qualquer cerveja sai 15% mais barato para ser levada (quente) para casa.

A cerveja dinamarquesa Faxe (R$ 19, 1l), que andava sumida das prateleiras mineiras há cerca de 15 anos, reaparece no bar, que passou a representá-la com exclusividade no estado, ao lado de rótulos de cervejarias como Malheur, BrewDog, Founders, Del Ducato e Bernard. Brasil e Bélgica lideram em quantidade de rótulos no cardápio, que também tem representantes da Alemanha, Áustria, Dinamarca, Escócia, Espanha, Estados Unidos, Holanda, Inglaterra, Jamaica, Itália, Irlanda e República Checa.

A oferta de chopes varia constantemente, mas não costumam faltar por lá o de trigo Erdinger (R$ 11,80), o IPA BrewDog Fight (R$ 19), o vienna lager Falke Bier Red Baron (R$ 8,50) e o pilsen Bäcker (R$ 5,30), todos servidos em copo de 330ml. No momento, todos são extraídos com gás carbônico, mas o bar estuda utilizar nitrogênio para alguns.

Fotos: André Hauck/Esp. EM/D A Press
Iscas de peixe empanadas com fritas estão entre os petiscos oferecidos pelo bar (foto: Fotos: André Hauck/Esp. EM/D A Press)
FRITAS
Para comer, a casa oferece desde filé acebolado com fritas (R$ 32, para três pessoas) ao berlinense 'currywurst' (salsichão com ketchup e curry; R$ 27, para duas pessoas), passando por costelinha ao molho barbecue com fritas (R$ 35, para duas pessoas) e fish and fries (iscas de peixe empanadas com fritas; R$ 36, para três pessoas). O infarto frito (feito com pele de frango), que fez fama em outros bares da cidade, é servido na casa com molho de pimenta por R$ 14 (para duas pessoas).

Reduto da Cerveja
Rua Pium-I, 570, Carmo. (31) 3317-7974. Aberto de segunda a quinta, das 17h à 0h; sexta, das 17h à 1h; sábado, das 15h à 1h; domingo, das 15h às 22h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA