Bares e restaurantes - Tempero espanhol

O Mediterrâneo continua no Centro e o Restaurante A Fuego Lento está no Vale do Sereno

por Eduardo Tristão Girão 05/10/2012 07:15
( André Hauck/Esp. EM/D. A Press)
Paella de frutos do mar servida nos restaurantes Mediterrâneo e A Fuego Lento (foto: ( André Hauck/Esp. EM/D. A Press))
Quando foi aberto, há um ano, o Restaurante Mediterrâneo chamou a atenção pela localização (num quarteirão pouco visado do Centro), proposta (cozinha espanhola, não muito difundida em BH) e preço (abaixo do padrão Lourdes). Não por acaso, tornou-se fenômeno. Entretanto, a sociedade entre o espanhol José Luis Aguilar e a belo-horizontina Carmen Pepita Sunsi durou poucos meses. O lado bom disso é que o público ganhou outra casa do gênero: ele continuou no mesmo endereço, ela abriu o A Fuego Lento, no Vale do Sereno, em Nova Lima, na divisa com BH. Leia mais sobre gastrono mia no Blog do Girão Como José Luis fica no salão atendendo fregueses e Carmen na cozinha, com a dissolução da sociedade o Mediterrâneo passou alguns meses fechado, período durante o qual o espanhol não apenas procurou profissional para substituí-la, mas providenciou reforma. Tendo no fogão o chef Eduardo Buonavita, a casa foi reaberta em março, mesmo mês de inauguração do A Fuego Lento, que tem à frente Carmen, o filho Tiago e ambiente mais amplo, para 80 pessoas – o quádruplo da capacidade do salão do Centro. Há ainda a possibilidade de o Mediterrâneo abrir filial na Pampulha, ano que vem. Em ambas as casas, a paella continua figurando como um dos principais atrativos. No Mediterrâneo, ela sai por R$ 32 se for de frutos do mar, e R$ 30, se for valenciana (frango com coelho). Os preços são individuais e o pedido mínimo é para duas pessoas – apesar de não ser obrigatório, é aconselhável encomendar o prato por telefone, na véspera. No A Fuego Lento, a variedade é maior, mas os preços são mais altos: frutos do mar (R$ 39,80) e mista (frango com costelinha e frutos do mar; R$ 42) são algumas das opções – todas para uma pessoa, com pedido mínimo para duas. No restaurante de Carmen, há ainda variações da famosa receita espanhola, como o fideuá de mariscos (o arroz é trocado pela massa cabelo de anjo; R$ 38,50), o arroz com tinta de lula e frutos do mar (R$ 43) e a paella dos pescadores (igual à de frutos do mar, mais com mais caldo; R$ 37,50). José Luis manteve pratos individuais que estão no cardápio desde a inauguração, como as almôndegas com lula e arroz (R$ 23) e o arroz de forno (com grão de bico, costelinha, calabresa e legumes; R$ 30), e acrescentou alguns novos, como o ossobuco à catalã (desfiado e servido com arroz; R$ 23). Vertentes Na parte de tapas, não há muita novidade. As duas casas mantiveram pedidas como croquetas (bolinhos à base de molho béchamel, com recheio variados), batatas bravas e os tigres, espécie de casquinha de mexilhão recheada e empanada na própria concha do marisco. Enquanto no Mediterrâneo o freguês pode optar por degustação de 10 tapas diferentes (R$ 35, com uma de cada), no A Fuego Lento encontra leque maior de petiscos, a exemplo das porções de lula empanada com maionese de alho (R$ 25) e de polvo com batatas e páprica picante (R$ 38). Quanto às bebidas, cada um privilegiou uma vertente. José Luís conseguiu manter os mesmos preços da época da inauguração para suas cervejas: chope a R$ 3,90 e garrafa de 600ml a R$ 6 (ambas da mineira Bäcker). Vinhos, em compensação, são só seis e custam a partir de R$ 75, cada. A carta de tintos e brancos de Carmen, por outro lado, tem 14 rótulos com preços que não passam de 30% em relação ao valor de prateleira (entre R$ 46 e R$ 102, garrafa), algo notável quando o “normal” é duplicar o custo original da garrafa. As cervejas de lá (da mesma marca), entretanto, saem por R$ 4,50 (chope) e R$ 6 (long neck). ONDE IR >> A Fuego Lento Rua Jequitibá, 50, Vale do Sereno, Nova Lima, (31) 3213-2184. Aberto de segunda a quinta, das 11h30 às 15h; sexta e sábado, das 12h à 0h; domingo, das 12h às 17h. >> Mediterrâneo Rua Guajajaras, 1.021, Centro, (31) 3273-3872. Aberto de terça a sexta, das 11h30 às 14h30 e das 18h30 às 23h; sábado, das 11h30 à 23h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA