Especialidade: galeto

L%u2019Esperto aposta no frango abatido com um mês de vida para atrair clientela em BH

por Eduardo Tristão Girão 14/09/2012 10:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
Carne com grande aceitação na Região Sul e no Rio de Janeiro, o galeto tem lá seu charme e suas peculiaridades em relação ao frango (galeto é o frango abatido com cerca de um mês de vida), mas ainda não conquistou de vez o belo-horizontino. Enxergando nisso oportunidade, a galeteria L’Esperto, aberta semana passada na cidade, aposta na ave, assada na brasa e servida em várias receitas, assinadas pelo chef Leandro Pimenta, do Restaurante The L.A.B., também recém-inaugurado.

A nova casa ocupa imóvel onde antes funcionava a sorvetria Blue Mountain, na Savassi. As obras começaram em junho: o piso xadrez do salão de baixo foi mantido e o balcão, no de cima, refeito. Somando os dois ambientes, são 60 lugares em mesas de madeira; à noite e durante o fim de semana, a capacidade dobra com mesas extras na calçada da Rua Inconfidentes. O nome do restaurante significa “o especialista”, em italiano.

Inicialmente, conta a gerente Amáilia Garrido, a intenção era abrir a loja no Centro e sem mesas, ao estilo Café Palhares, mas a dificuldade em encontrar ponto levou o projeto à Savassi. Leandro foi contratado como consultor gastronômico e elaborou todo o cardápio, que é executado pelo colega Delson Antônio Batista. Este último tem experiência na extinta rede Alpino e em cozinhas de hotéis e, por ter morado na Grécia, trouxe de lá a receita da kafta (R$ 6, unidade) servida na casa, aprendida com um turco.

Os galetos são temperados de duas maneiras diferentes. O que é servido como prato executivo (R$ 26,90) ou petisco (R$ 18) é condimento na hora e apenas com sal, alho, pimenta-do-reino e ervas frescas. Já o que é servido como prato especial passa 12 horas marinando em vinho branco, sal, alho, pimenta-do-reino, cebola, cenoura, salsão, cravo, anis-estrelado, manjerona e louro. Ambos são assados por cerca de uma hora em espeto giratório sobre brasa (o pedido leva bem menos que isso para chegar à mesa).

Mundial “Trouxemos a concepção carioca do galeto, mas com tratamento especial no tempero. Saimos do carioquinha para versões mais cosmopolitas”, resume Leandro. Ele fala dos galetos especiais: do mineiro (com arroz de alho, tutu, farofa e couve) ao marroquino (com arroz de amêndoas e frutas secas, legumes na manteiga e molho de tamarindo), passando pelo cubano, mexicano, norte-americano, mexicano, oriental e italiano. Cada um custa, em média, R$ 36 (incluindo um galeto de cerca de 600g e acompanhamentos) e serve uma ou duas pessoas. Depende da fome.

A seção de petiscos e entradas conta com pedidas tradicionais, sendo ponto fora da curva as porções de bolinho de rabada ao molho barbecue com chips de baroa (R$ 17) e de filé ao molho de queijo canastra com cesta de pães (R$ 26). Os pasteis são produzidos na casa (o que não é tão comum na cidade), disponíveis nos sabores carne, queijo e camarão (cerca de R$ 17, porção com nove unidades). Entre as sobremesas, parfait de chocolate com pé de moleque (R$ 12). Chope a R$ 4,90 (Brahma) e cerveja (600ml) a R$ 6,90.

L’Esperto
Avenida Cristóvão Colombo, 550, Savassi. (31) 3227-8044. Aberto de segunda a sábado, das 11h à 0h; 
domingo, das 11h às 16h.


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA