Famosas na Argentina, Chile, Bolívia, Colômbia e Venezuela, empanadas ganham novo endereço em BH

por Eduardo Tristão Girão 22/07/2011 07:00
 Pedro David/Esp. EM/D. A Press
Em vez de assadas, as empanadas da lanchonete Huguitos são fritas por imersão (foto: Pedro David/Esp. EM/D. A Press)

Receita trazida pelos colonizadores espanhóis, a empanada tornou-se item tradicional do receituário de países sul-americanos. Na Argentina há praticamente uma versão para cada região e ela também é popular em países como Chile, Bolívia, Colômbia e Venezuela. Especula-se que sua origem seja a esfirra, o que ajuda a explicar a forma: massa fina a envolver recheio geralmente de carne. Em Belo Horizonte é encontrada em poucos endereços, como Pizza Sur, Ayres Empanadas e, mais recentemente, na lanchonete Huguitos.

A história da nova casa é intrincada. Hugo Miranda Fiuza é filho de mineiros e nasceu em Campo Grande (MS). Em constantes viagens ao Paraguai, tornou-se freguês de um chileno que vende empanadas em Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Brasil. “Levávamos uma quantidade grande para casa e comíamos durante toda semana”, lembra. Ele era criança e, desde quando veio morar na capital mineira, sentia saudades do quitute. Demorou para que conseguisse comprar do dono a receita de que tanto gosta, mas Hugo conseguiu e fez dela a especialidade da casa.

Feito isso, contratou o chef Márcio Roscoe (Benvindo) para desenvolver as empanadas. A primeira dificuldade foi a farinha. “Não ficava igual. Conversando com um argentino, soube que a farinha de trigo daqui não é a mesma de lá”, conta Hugo. A partir daí, passou a comprar exclusivamente farinha do país vizinho (tipo 0000) para fazer a massa, que não leva fermento e é trabalhada com óleo de algodão. Em vez de assadas, as empanadas do local são fritas por imersão. “O interessante é que essa receita fica menos oleosa do que a argentina, que é assada”, garante.

Chilenita
São 10 os recheios disponíveis, com destaque para o apelidado de chilenita, semelhante à combinação mais clássica de ingredientes de empanada: carne picada, ovo, azeitona, palmito, passas e pimenta calabresa. Outras opções são queijo com tomate e manjericão; frango com queijo; e três queijos (ricota, muçarela e provolone), além de dois sabores doces. Qualquer uma custa R$ 2,50 e, até mês que vem, a casa venderá duas por R$ 4. Levas de empanadas saem de hora em hora e, a partir do fim da tarde (quando o movimento aumenta), chegam a ser preparadas a cada 15 minutos.

“Nos outros países não há variedade de sabores como aqui. Em 90% dos casos, as empanadas são de carne com azeitona e ovo. Lá fora elas levam um pouco mais de pimenta. Senti que abrir uma loja de empanadas é uma oportunidade porque trata-se de algo diferente, que acho melhor do que empada, salgado que é muito vendido por aqui”, conta Hugo. No momento, ele trabalha na elaboração de manual da loja, pois pretende franqueá-la ainda este ano.

Da tia Para beber, suco de laranja espremido na hora (R$ 2,50, copo), refrigerante (R$ 2,50, lata), cerveja long neck (entre R$ 3 e R$ 4) e café expresso da marca mineira Pé de Café (tipos mundo novo, catuaí amarelo e bourbon; R$ 2,50). Entre os chocolates industrializados na vitrine, chama a atenção a palha italiana caseira (R$ 1,50), feita pela tia da namorada de Hugo, que, no momento, desdobra-se em testes para começar a fornecer alfajor para a loja. Picolés são da Diletto (entre R$ 4,50 e R$ 6,50, cada).

Huguitos
Avenida Brasil, 1.831, Funcionários. (31) 3023-7833. Aberto de segunda a sexta, das 8h às 22h; sábado, das 9h às 17h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA