Em meio à natureza

Restaurantes oferecem cardápio diferenciado em ambiente sem estresse

por Thaís Pacheco 03/06/2011 07:00
Tomilho, alecrim e manjericão frescos – do pé direto para o prato italiano que exige ervas. Essa é uma das características de restaurantes instalados em meio à natureza nos arredores de BH. Domingo é Dia Mundial do Meio Ambiente. Está aí uma boa forma de comemorar: comendo.

Em São Sebastião das Águas Claras (Macacos), funciona o Passaggio Ristorante. Sob comando da chef Luciana Couto, abriu as portas há cinco anos. Depois de se formar em culinária no Senac, ela fez dois cursos na Itália, na região de Emília Romanha e no Piemonte. Voltou, tornou-se sócia do irmão, Plauto Soares. Não foi difícil escolher o local. “A gente adorava aqui. É muito mais agradável. Dentro do restaurante tem uma ponte, o rio passa embaixo e o deck fica no meio das árvores. Estamos no meio da natureza”, afirma Luciana.

A chef acredita que localização tem tudo a ver com comer bem. “É um ambiente agradável, você não fica preocupado com assalto, não há um monte de carros. Quando o prato chega, você já está à vontade”, diz. A música costuma ser ao vivo, com voz e violão.

Lá mesmo são plantados manjericão, alecrim e tomilho. Além disso, os clientes podem interagir com os micos que, às vezes, dão o ar da graça para ganhar um pãozinho. “Não temos muita mudança de mesa. As pessoas vêm almoçar e ficam o dia inteiro”, garante a chef. A casa oferece lombo de atum com crosta de aveia e caramelo balsâmico e risoto milanês, feito com açafrão espanhol e alho-poró (R$ 72).

Para ir a Macacos, o caminho é a BR-040, que segue para o Rio de Janeiro. Quem preferir o outro lado da cidade pode optar pela Rodovia Fernão Dias (BR-381) e tocar para Betim, onde há boas opções “gastroecológicas”. Uma delas é o Vale Verde, alambique e parque ecológico com 300 mil metros quadrados de área verde, 1,3 mil aves e 20 mil orquídeas, além de lagoas. Para domingo, a casa preparou programação especial para as crianças, com apresentação da peça O casamento da ararinha azul, adaptação do livro de Angelo Machado. O restaurante do parque cobra R$ 31 (adultos) e R$15 (crianças) pelo self service de comidas mineira, brasileira, italiana e internacional.

Quem não quiser sair de BH pode ir até o Restaurante Rancho Fundo, no Bairro Buritis. Com imensa área verde, ele tem capacidade para receber 1,2 mil pessoas. Árvores ficam em volta da área das mesas. Especializada em comida mineira, a casa oferece a opção de preço fixo (R$ 29) para o cliente comer à vontade.

Em plena Pampulha, o Paladino mantém área verde de 30 mil metros quadrados e fazendinha. As crianças se divertem ao visitar galinheiro, viveiro, curral, horta e mina d’água. Também podem andar a cavalo. O restaurante apoia o projeto Manuelzão, voltado para educação e proteção ambiental. Serve comida brasileira, de moqueca à picanha (R$ 80, em média, prato para duas pessoas).

ONDE IR
Paladino

Avenida Gildo Macedo Lacerda, 300, Pampulha. (31) 3447-6604. Terça, das 11h às 16h. Quarta e quinta, das 11h à meia-noite. Sexta e sábado, das 11h à meia-noite. Domingo, das 11h às 18h.

Passaggio Ristorante
Rua Seis de Outubro, 1.987, Estrada da Cachoeira, São Sebastião das Águas Claras (Macacos). Informações: (31) 3547-7467. Quinta, das 19h às 23h. Sexta, das 19h à meia-noite. Sábado, das 12h à meia-noite. Domingo, das 12h às 19h.

ONDE IR
Rancho Fundo

Avenida Professor Mário Werneck, 1.160, Buritis. (31) 3378-7300. De segunda a sexta, das 11h às 15h; de terça a sexta, das 18h30 à meia-noite. Sábado, das 11h30 às 17h e das 18h30 às 2h. Domingo, das 11h30 às 17h.

Vale Verde
Rodovia MG-50, KM 39, Vianópolis, Betim. (31) 3019-9171. De segunda a domingo, das 9h às 17h30. Entrada para visitantes: R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada e crianças de 6 a 12 anos).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA