Festival de Tiradentes deixa expectativa pelo próximo

Cidade cheia, hotéis e restaurantes com lotação máxima e visitantes satisfeitos é o saldo do evento que levou milhares de pessoas a experimentar o melhor da culinária mundial

por Eduardo Tristão Girão 30/08/2010 11:53
Beto Magalhães/EM/D. A Press
Festim preparado pela chef Adeline Grattard e apresentado pelo Estado de Minas surpreende convidados (foto: Beto Magalhães/EM/D. A Press)
Festins, almoços, jantares, cursos de culinária, palestras, shows, lançamentos de livros e uma série de eventos culturais. A 13ª edição do Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes chegou ao fim ontem depois de 10 dias de programação e se mostrou uma das melhores e mais bem organizadas dos últimos anos. Com o tema dedicado às mulheres, o evento contou exclusivamente com elas à frente das cozinhas. Confira galeria de fotos! Destaque entre as chefs do último fim de semana do festival, a francesa Adeline Grattard mostrou ao público parte do trabalho que desenvolve em seu restaurante, o parisiense Yam’Tcha, na noite de sábado, em festim apresentado pelo Estado de Minas. Quem esperava menu tipicamente francês, foi surpreendido com instigante sequência de pratos baseados em produtos e técnicas chineses. O casal Luiz Guedes, de 43 anos, e Cristiane Matos, de 31, de Juiz de Fora, veio para Tiradentes no sábado mesmo, só para conferir o cardápio da chef francesa. Curiosos, estavam num festim do festival pela primeira vez. “Trabalho com restaurante, mas nada de sofisticado. Essa oportunidade é um bom laboratório para mim. Apesar de estar na área administrativa, sou bom em observar e adaptar o que vejo para minha realidade”, diz ele. Também com boa dose de interesse profissional, o casal do Rio de Janeiro Márcio e Rita Cavalcante, ele chef e ela pâtissier, ambos de 42, aproveitaram a rápida passagem pela cidade para conferir o curso de cozinha da chef espanhola Pepa Romans. “Ainda não tivemos tempo de ver muita coisa, mas estamos achando o festival interessante. O esforço de trazer esses chefs para cá é muito válido. O intercâmbio é importante para ambas as partes”, avalia ele. Depois de longa temporada na Europa, vão abrir dois restaurantes na capital fluminense este ano. BALANÇO “Conseguimos ter nível excelente de chefs e a parte cultural cresceu muito, mas o que me deixou mais satisfeito foi ver que Tiradentes ganhou com o festival. A cidade teve lotação máxima, com hotéis e restaurantes cheios, e o comércio foi muito aquecido, o que deixa a gente satisfeito. Isso ajuda demais todo tipo de evento”, observa Rodrigo Ferraz, organizador do evento, ao lado de Ralph Justino. Rodrigo adianta que a tendência é continuar concebendo festivais com temas bem definidos como o deste ano. A produção gastronômica da próxima edição provavelmente continuará a cargo da empresa paulistana Síbaris, que tem experiência na organização e assessoria de alguns dos principais chefs e eventos do ramo no país. O tema do ano que vem, bem como os chefs participantes, já foram definidos, mas estas informações serão mantidas em segredo por mais alguns meses. Porém, é possível adiantar que, a partir do ano que vem, o festival passará a ser realizado entre o último fim de semana de agosto e o primeiro de setembro, o que ajuda a driblar as dificuldades de agenda dos chefs europeus, já que agosto é mês de alta temporada por lá. Há, ainda, a possibilidade de que a programação do evento seja distribuída por três pontos e não apenas dois (largos das Forras e da Rodoviária), como é feito hoje. *O repórter viajou a convite da organização do evento

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA