Odeon, o novo bar de Santa Tereza

Estabelecimento tem cardápio de tira-gostos para agradar profissionais

por Eduardo Tristão Girão 09/07/2010 07:00
Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press
Os proprietários Mateus e Luiz Guilherme fizeram questão de conservar o charme do lugar (foto: Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press)
Fregueses dos vários bares que o lendário Gibi Cardoso teve em Belo Horizonte, os amigos Mateus Mesquita e Luiz Guilherme Melo andavam meio órfãos de um bar para chamar de “deles”. Procuraram vários imóveis para alugar e, desanimados com o que encontraram, resolveram dar uma pausa e foram almoçar no Bolão, em Santa Tereza. Foi quando avistaram uma faixa de aluga-se no segundo andar do antigo sobrado que fica na contraesquina. Nascia a ideia do Odeon, bar que a dupla inaugurou mês passado.

O amplo salão que funciona sobre um depósito de material de construção abrigou, no passado, um clube de dança e, mais recentemente, teve mantida a vocação com projetos de forró e samba. “Pensamos que era caro, pois queríamos algo pequeno”, lembra Mateus. Acabaram fechando negócio e foi iniciada reforma que durou cinco meses e deu novos ares ao local. Literalmente. Dez janelas e vãos foram abertos (alguns haviam sido fechados por conta de reclamações de barulho), banheiros, balcão e cozinha foram refeitos e o forro baixo foi eliminado, revelando pé direito alto.

Mesas feitas com madeira de estrado para carga e descarga e cadeiras compradas de ferro velho comportam até 70 pessoas – há velhas poltronas de escritório tão confortáveis que justificam chegar mais cedo ao bar. O piso anterior (cerâmica e ardósia) foi mantido, enquanto as paredes foram descascadas e agora os tijolos originais ficam orgulhosamente à mostra. A moderna televisão que está pendurada numa das paredes foi comprada só por causa da Copa do Mundo e em breve será sorteada: cada rifa custa R$ 10 e o ganhador será conhecido quarta-feira.

Quer mais opções? Confira o Guia de Bares e Restaurantes do Divirta-se

Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press
Joelho de porco com purê de maçã, sugestão de petisco da Odeon (foto: Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press)

PROCEDÊNCIA

O cardápio, enxuto, faz jus ao tamanho reduzido da cozinha, onde trabalham o chef Rafael Duarte e uma ajudante. Foi elaborado por ele e Ellen Karina Andrade, chef do bar Balaio de Gato. Petiscos são listados em maior número (nove), dentre os quais destacam-se as porções de cogumelos mistos refogados (R$ 18), joelho de porco com purê de maçã (R$ 35,40) e bolinho de carne (feito com patinho, pernil suíno, bacon e mortadela; 12 unidades, R$ 18,90).

O joelho de porco, bem como as salsichas mistas servidas com salada de batata (R$ 29,80) são comprados da família Haag, em Belo Horizonte. Pães são do ateliê Cum Panio e os pastéis (carne moída com azeitona; cogumelos com muçarela; escarola com parmesão e alho-poró; R$ 12,90, porção) têm massa comprada de fábrica que fica no próprio bairro. Há, ainda, sanduíches (berinjela com legumes e queijo, R$ 12,90; miolo de alcatra com queijo minas, R$ 15,90), um caldo (abóbora com gorgonzola, R$ 10,90) e sobremesas.

Para beber, linha completa da Backer (chope, R$ 3,90; long neck, R$ 4,50; garrafa de 600ml, entre R$ 6,50 e R$ 8,50; blond ale Medieval de 300ml, R$ 10), cervejas de garrafa tradicionais (R$ 4,80, 600ml) e Guinness (R$ 14,90, lata de 440ml) – a oferta de cervejas importadas deve ser aumentada em breve. Os nove rótulos de vinho são da Zahil (entre R$ 39 e R$ 52). Para quem gosta, há tabuleiro de gamão à disposição, feito pelo próprio Mateus, que tem marcenaria em casa.

ODEON
Rua Adamina, 125, Santa Tereza. (31) 2514-8487. Aberto de terça e quarta, das 18h à 0h; quinta e sexta, das 18h à 1h; sábado, das 16h à 1h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA