L'Astigiano - Para comer sem culpa

Novo restaurante serve carne com massa ou com risoto no mesmo prato, sem considerar a pedida um pecado

por Eduardo Tristão Girão 07/05/2010 07:00
Pedro David/Esp. EM/D. A Press
Salada de rúcula com lascas de presunto cru e fatias de figos frescos (foto: Pedro David/Esp. EM/D. A Press)

Pino Quaglia, chef italiano que abriu o La Scaletta há pouco mais de 10 anos na Savassi, ganhou fama em Belo Horizonte por ser intransigente. Se negava a servir massa e carne no mesmo prato, odiava cliente mandão e quase não usava manteiga. Pois ele se cansou, vendeu a casa e agora estuda a abertura de outro negócio. Quem comprou o ponto foi o conterrâneo Paolo Resmini, engenheiro civil que largou o mundo corporativo para se dedicar à gastronomia. Apesar de os pratos do recém-inaugurado L’Astigiano terem mudado bastante e o novo cardápio seguir a estrutura básica do anterior, agora há algumas “concessões.”

Por “concessão” entenda-se, por exemplo, que os fregueses do novo restaurante poderão pedir pratos com massa e carne juntos, o que destoa da tradição italiana do primo i secondo piatto e era impossível na época de Pino. “A forma mais tradicional de comer como na Itália é dividida assim. Gostaria de manter essa proposta e oferecer às pessoas essa oportunidade, mas se alguém quiser algo diferente disso, aceito. E como vivo no Brasil há muito tempo, não acho pecado algum em comer carne com risoto”, afirma Paolo, que sempre frequentou o La Scaletta.

E esses pratos estão, de fato, no cardápio: medalhão de filé com cogumelos e fettuccine ao creme de leite (R$ 45, individual), ossobuco com risoto de açafrão (R$ 45, individual) e peixe san peter com linguine ao pesto e camarão (R$ 48, individual). Risotos eram servidos ocasionalmente e agora ganharam seção fixa, composta por três opções (funghi, R$ 38; gorgonzola, R$ 36; e limão siciliano com presunto cru, R$ 42; todos individuais). “Sou um pouco mais tolerante. Pino é um ‘integralista’ mediterrâneo”, brinca. Mas sua intenção, avisa, não é ter restaurante de cozinha internacional: “Quero ser um pedacinho da Itália aqui”.

Antepastos são divididos em di mare e di terra, incluindo pedidas como bruschetta de tomate fresco com aliche e alho (R$ 18); tartar de atum ao azeite e limão (R$ 38); salada de rúcula, parmesão, presunto cru e figo fresco (R$ 28); e rolinhos de berinjela, tomate seco e mussarela de búfala ao vinagre balsâmico (R$ 20). Entre as opções de primeiro prato, destaque para o penne com caponata (R$ 30, individual) e entre as de segundo, atum na chapa com salada verde e tomates (R$ 48) e ossobuco ao vinho tinto com batatas coradas (R$ 38, individual).

Na seção de sobremesas, surpreende a inserção do pouco conhecido bunet (R$ 14), espécie de pudim de café com vinho marsala, chocolate e amêndoas em calda de açúcar queimado. Clássicos também estão disponíveis, caso do tiramisù (R$ 14), panna cotta (R$ 12) e affogato al caffè (R$ 10). Para assumir a cozinha, foram contratados os chefs Douglas Fernandes e Nélio Resende e o cozinheiro Ronaldo de Melo. Por enquanto, a carta de vinhos conta com apenas 13 rótulos (entre R$ 45 e R$ 210, garrafa).

Quer mais opções? Confira o Guia de Bares e Restaurantes do Divirta-se

Pedro David/Esp. EM/D. A Press
(foto: Pedro David/Esp. EM/D. A Press)
OBRAS

Paolo aproveitou a transição para promover mudanças também no ambiente. A começar pela entrada do imóvel, que teve habilitada a varanda – antes inutilizada, agora abriga cinco mesas de casal sobre piso de ladrilho hidráulico. Junto a grade do passeio, bambus foram plantados para conferir certa privacidade a quem opta pelo ar livre. A fachada de tijolos foi mantida, mas seus detalhes receberam cores amarelo e terracota.

As mesas (com toalha branca) e cadeiras antigas foram mantidas e um novo salão foi criado nos fundos: mais informal, têm sete mesas de madeira de demolição, jogos americanos por cima, adega climatizada para 150 garrafas e teto com cobertura basculante. O ambiente principal continua com piso de cimento, mas as paredes ganharam textura marrom que imita efeito do envelhecimento (feita pelo próprio Paolo) e os itens de decoração foram diminuídos. A cozinha foi ampliada.

L’ASTIGIANO
Rua Paraíba, 941, Savassi. (31) 3261-7329. Aberto de segunda a sábado, das 19h à 0h30. Excepcionalmente, abrirá para almoço nesse domingo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA