Restaurante brasileiro fica em 18° lugar na lista dos 50 melhores do mundo

por AFP 28/04/2010 19:43
D.O.M. Restaurante/Divulgacao
Chef Alex Atala (foto: D.O.M. Restaurante/Divulgacao)
O restaurante D.O.M, de São Paulo, que tem Alex Atala como "chef", ficou em 18° lugar no ranking dos 50 melhores restaurantes do mundo em uma entrega de prêmios realizada nesta segunda-feira em Londres. O estabelecimento brasileiro foi o mais bem colocado da América Latina.

O restaurante Noma, do chef dinamarquês de 32 anos René Redzepi, ficou em primeiro lugar, acabando com o longo reinado do espanhol El Bulli. O estabelecimento de Copenhaguen encabeçou a prestigiada lista S.Pellegrino dos 50 melhores restaurantes do mundo em um evento organizado pela revista britânica Restaurant na histórica prefeitura londrina.

"É um trabalho de equipe", disse ao receber o prêmio junto com seis de seus colaboradores, a maioria vestindo uma camiseta com a foto do lavador de pratos do restaurante, o gambiano Ali, que não pode ir ao evento por não ter conseguido visto de entrada no país.

O Noma, terceiro lugar em 2009, deixou o segundo lugar para El Bulli - o restaurante três estrelas Michelin do catalão Ferrán Adrià, vencedor de cinco edições, as quatro últimas.

Adià recebeu, no entanto, um novo prêmio, o de melhor chef da década, três meses depois de ter anunciado sua intenção de fechar o restaurante três estrelas Michelin de Roses (Catalunha, nordeste do país) em 2012 e 2013 e se converteu posteriormente em uma fundação.

"Não se pode ganhar todos os anos. Depois de ficar cinco vezes em primeiro lugar e duas vezes em segundo, tenho que estar agradecido por esse prêmio", declarou Adrià à AFP.

A Espanha teve quatro restaurantes entre os 10 melhores do mundo, e não há nenhum francês nessa classificação elaborada por 800 críticos, jornalistas e especialistas internacionais em gastronomia.

Depois de Adrià estão o catalão El Celler de Can Roca (Joan Roca) e os bascos Mugaritz (Andoni Luis Aduriz) e Arzak (Juan Mari Arzak), respectivamente quarto, quinto e nono lugares. Outro estabelecimento do País Basco, Mertín Berasategui, ocupou o 33° lugar. "Isso é uma consolidação. Ninguém pode duvidar que a cozinha espanhola está na vanguarda. Estou muito contente por todos", completou Adrià.

O terceiro lugar ficou com o restaurante britânico "The Fat Duck", do chef Heston Blumenthal. Depois do brasileiro, o único latino-americano prestigiado foi o mexicano Miko, que abriu suas portas em 2007 e entrou pela primeira vez na lista, no 46° lugar.

Finalmente, o chef austríaco Eckart Witzigmann, cujo estabelecimento Aubergine em Munique (Alemanha) foi um dos primeiros não franceses a receber três estrelas Michelin, recebeu o prêmio especial do jurado.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA