Até o dia 30, todas as atenções se voltam para Tiradentes

21/08/2009 07:00
Eugênio Gurgel/Esp. EM/D.A Press %u2013 24/3/09
Expoente da moderna cozinha japonesa, Tsuyoshi Murakami prepara festim hoje à noite (foto: Eugênio Gurgel/Esp. EM/D.A Press %u2013 24/3/09)

Um dos maiores eventos do gênero no Brasil, o Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes chega à 12ª edição repleto não apenas de estrelas internacionais, mas de personalidades da gastronomia no país. De sexta ao dia 30, os chefs franceses serão maioria, mas o Brasil será representado por gente do quilate do paulistano Rodrigo Oliveira (Mocotó, São Paulo), do japonês Tsuyoshi Murakami (Kinoshita, São Paulo), do francês Roland Villard (Le Pré Catelan, Rio de Janeiro), do restaurateur Arri Coser (Fogo de Chão), do chef e consultor Eduardo Maya (Comida di Buteco) e do consultor Eduardo Avelar (Sabores de Minas, BH). Sem falar em Ivo Faria, que sempre cede seu restaurante Vecchio Sogno para os preparativos do festival.

Dos oito festins (os jantares especiais que são a “vitrine” do festival), seis já estão esgotados: Philippe Labbé (La chèvre d’Or, França); Marc Meurin (Le Châteaux de Beaulieu, França); Emmanuel Ruz (Lou Fassum, França); Fernando Canales (Etxanobe, Espanha); Olivier Briand (Gibus, França); e David Etcheverry (Le Saison, França). As últimas vagas estão nos festins de Tsuyoshi Murakami e Roland Villard (R$ 290, cada festim; valor individual e com bebidas incluídas), estrangeiros que só fizeram fama quando chegaram ao Brasil.

Roland é figurinha fácil em Tiradentes, já participou de várias edições do festival. No sábado, no comando de festim beneficente apresentado pelo Estado de Minas, mostrará cardápio inspirado no cruzamento das técnicas francesas e sabores tropicais. É assim no camarão com chutney de abacaxi e sashimi de crustáceos com manga; e é assim no turnedô com crocante de caju e purê de feijão branco com trufa negra.

Ele sabe o que está fazendo. Foi com esse tipo de cruzamento que surpreendeu o conterrâneo Alain Ducasse quando esteve no Brasil. Desde 1997 no país, Roland descende de família que se dedica à gastronomia há quatro gerações. Além da França, trabalhou na Costa do Marfim, antes de chegar ao Brasil. Atualmente, responde não só pelo Le Pré Catelan, que fica no Hotel Sofitel, no Rio de Janeiro, como pelos demais restaurantes da rede na América do Sul.

Leia mais

MOCOTÓ E POLVO

Uma das principais revelações da cena gastronômica paulistana nos últimos anos, o chef Rodrigo Oliveira mostrará um pouco do seu trabalho à frente do restaurante Mocotó, em almoço especial no botequim oficial do festival, no Largo das Forras. A especialidade dele é a comida do sertão. Filho de pernambucanos, desde cedo se habituou aos sabores do interior nordestino, mas foi só quando assumiu as rédeas da casa, em 2004, que o sucesso chegou.

Um feito e tanto. Afinal, ele tem só 28 anos e atingiu o topo com bode, sarapatel, fava, escondidinhos, torresmo, queijo coalho, carne de sol e, é claro, mocotó, ingrediente fundamental da famosa mocofava (pé de boi com bacon, linguiça, carne seca e fava). Um dos traços mais interessantes do seu trabalho é o respeito à tradição gastronômica sertaneja, mas sem abrir mão do que puder melhorar aquilo que serve à freguesia. Exemplo: a carne de sol da casa é cozida à vácuo, em baixa temperatura.

Expoente da moderna cozinha japonesa praticada no Brasil, Tsuyoshi Murakami mostrará seu talento em festim hoje à noite. Sua experiência no aclamado Kinoshita será posta a favor de menu composto por pratos como a salada de muçarela de búfala gelada e o sonho de vieira e polvo. Frequentemente, o estilo do chef é descrito como kappo cuisine, o que, na prática, significa base clássica japonesa e abertura a influência ocidentais – tendência que o próprio chef garante estar em alta, inclusive, no Japão.

FESTIVAL DE CULTURA E GASTRONOMIA DE TIRADENTES
De Sexta-feira (21/08) ao dia 30, em Tiradentes. Programação no site www.culturaegastronomia.com.br. Acompanhe o blog de cobertura do evento em www.uai.com.br/festivaltiradentes. Assinantes do Estado de Minas têm 10% de desconto nos festins.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA