Sorbets ganham os cardápios de BH com ares brasileiros

Com frutas como açaí, manga, maracujá e cajá

14/08/2009 07:00
Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press
Tempura de figo com sorbert de lichia servido no Restaurante Udon, em Lourdes (foto: Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press)
A combinação não poderia ser mais irresistível: a refrescância dos sorvetes, feitos com polpas naturais, sem adição de qualquer tipo de gordura. É assim o sorbet, receita tipicamente francesa usada para “limpar” o paladar entre uma refeição e outra, que, ao chegar ao Brasil, ganhou cor local, passando a ser feita com ingredientes como açaí, manga, maracujá, cajá e tantas outras frutas típicas da flora tropical.

Os sorbets ganharam em versatilidade quando passaram a ser utilizados na alta gastronomia, acompanhando pratos doces, salgados e saladas. Como são feitos com 70% da polpa da fruta na composição, conseguem preservar os benefícios do alimento natural. Foram justamente esses benefícios e a sensação refrescante que atraíram as atenções do mineiro Fernando Lana, da I Scream, durante temporada de estudos nos Estados Unidos. Foi paixão imediata. “Fiquei encantado com a leveza”, lembra.

Fernando Lana resolveu testar a repercussão da receita ao retornar ao Brasil. As primeiras experiências foram feitas com frutas europeias como framboesa e amora e, pouco a pouco, ele começou a incorporar frutas nacionais. A repercussão positiva foi imediata. Hoje, só em seu cardápio, há 40 sabores. “Nossa ideia é sempre ter novidades. É algo que combina com o calor do Brasil”, garante.

A menor quantidade de calorias em relação aos sorvetes convencionais tem incentivado os chefs locais a apostar no ingrediente. Desde que o sorbet apareceu por aqui, eles começaram a utilizar o doce e o gelado da receita nas mais diversas combinações.

Marcelo SantAna, chefe do Udon, restaurante especializado em culinária japonesa, é um deles. Mesclou o sorbet de wasabi (aquela raiz forte típica dos pratos orientais), para servir numa sobremesa com carpaccio de manga. Também se inspirou na lichia para criar outra receita, desta vez para acompanhar tempura de figo com calda de laranja. “É maravilhoso”, resume. Há outras combinações que têm feito sucesso, como o sorbet de manjericão, utilizando em saladas.

O Restaurante Gomide é outro que tem apostado na iguaria para cativar seu público. A casa prepara um sorbet de limão com vodca sob medida para limpar o paladar dos clientes. Mas, segundo um dos proprietários, Marcos Calmon, ainda existe um certo desconhecimento da iguaria na capital mineira. “Ainda é pouco divulgado. Estamos apostando. Quando lançamos a carta de azeite foi assim também. Hoje, virou uma das atrações”, conclui ele, apostando num futuro parecido para a típica receita francesa.

Não sabe aonde ir? Confira o Guia de Bares e Restaurantes do Divirta-se

I SCREAM DIAMOND MALL
Avenida Olegário Maciel, 1.600, Lourdes. Copo (120 gramas): R$ 6. Aberto de segunda a domingo, das 10h às 23h. Informações: (31) 3309-8838.

GOMIDE
Rua Tomás Gonzaga, 189, Lourdes. Aberto de terça a sábado, das 18h30 até 1h, domingo, das 12h às 18h. Informações: (31) 3292-4928.

UDON
Rua Gonçalves Dias 1.965, Lourdes. Aberto de domingo a quarta, das 18h até a meia-noite; de quinta a sábado, das 18h a 1h. Sobremesas: R$ 12 (média). Informações: (31) 3243-8005.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA