Sabará abriga mais uma edição do Festival de Ora-pro-nóbis

15/05/2009 07:00
Emmanuel Pinheiro/EM/D.A Press %u2013 22/5/05
Maria Torres da Fonseca comanda o Restaurante Moinho D'Água, participante do festival (foto: Emmanuel Pinheiro/EM/D.A Press %u2013 22/5/05)
A ampliação do evento – de um para dois finais de semana – e a capacitação técnica dos produtores são algumas das novidades do Festival de Ora-pro-nóbis de Sabará. Em sua 13ª edição, o evento, que será realizado de amanhã ao dia 24, no distrito de Pompéu, a 2,5 quilômetros do centro histórico, envolve três restaurantes do bairro (Moinho d’Água, Quintal Mineiro e Jotapê), um no Arraial Velho (Pousada Santana) e outros quatro (Cê-Qui-Sabe, Bar Ôco I, Bar Ôco II e 314-Sabarabuçu) da própria cidade, além de três barracas (São Vicente de Paulo, Moinho d’Água e Pompéu Futebol Clube) montadas por entidades assistenciais em Pompéu.

“Só o restaurante Jotapê está com 18 pratos diferentes, feitos à base da planta”, anuncia, empolgado, André Alves, secretário de Cultura de Sabará, atualmente respondendo também pela Secretaria Municipal de Turismo. Segundo ele, o objetivo das mudanças é melhorar o atendimento ao público, cujo acesso a Pompéu era dificultado principalmente pela realização do festival em um único fim de semana. “Os interessados em maiores informações devem procurar diretamente o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), que funciona na MGT -262, na entrada de Sabará. Haverá equipe de plantão no local, a cada final de semana, para atender os visitantes, entre 9h e 19h”, garante o secretário, esclarecendo que o interesse é receber cada dia melhor o turista.

Além da programação cultural paralela, que privilegia os grupos artísticos locais, no novo formato o 13º Festival de Ora-pro-nóbis de Sabará realizará, de 18 a 22 deste mês, a semana técnica, cujo principal objetivo é promover é a capacitação dos produtores da planta, visando à geração de renda durante o ano inteiro, não apenas no evento. “Vamos promover palestras e oficinas com funcionários da Emater, Faculdade Isabela Hendrix e nutricionistas da própria prefeitura, em que, além de técnicas de manipulação, eles terão acesso a novas técnicas de produção, manuseio e higienização do ora-pro-nóbis”, diz André Alves.

“Com isso, poderemos padronizar a produção dos derivados da planta, ensinar novos métodos de consumo e produção de seus derivados e capacitar os produtores como fornecedores do Banco de Alimentos do município”, acrescenta o secretário. Para a comunidade, será realizada uma oficina gastronômica, na qual serão ensinadas receitas fáceis e nutritivas do ora-pro-nóbis. Apesar da ausência de levantamentos oficiais, o município – em especial o distrito de Pompéu – é um dos maiores produtores da planta na região.

Ela nasce em todo lugar, sendo usada inclusive como cerca pelos moradores. A Pereskia aculeata Mill, como é conhecido cientificamente o ora-pro-nóbis, é uma planta da família das cactáceas, cujas folhas podem ser utilizadas não apenas na alimentação humana, mas também na animal. Além de não possuir nenhum princípio tóxico, é extremamente rica em proteínas. Análises realizadas nas folhas do produto mostraram que o vegetal possui 25% de proteínas, sendo muito alta também a sua digestibilidade (85%).

Quem mais opções? Não deixe de conferir o Guia de Bares e Restaurantes do Divirta-se

MIL E UMA RECEITAS

Prefeitura de Sabará/Divulgação
(foto: Prefeitura de Sabará/Divulgação)
Além de porções do ora-pro-nóbis, servidas com carnes típicas da região, como costelinha, frango, moída e marreco, à venda nas barracas a preços populares, o público do festival poderá se deliciar com pratos mais requintados, no conforto dos restaurantes. “A lasanha de ora-pro-nóbis, por exemplo, é uma das novidades que estamos servindo este ano”, revela Iara Maria Pinto Piasi, proprietária do Restaurante Jotapê, de Pompéu.

Uma das chefs que mais vem se dedicando à descoberta de novos pratos da planta, ela diz que, além servi-la com frango, costelinha, bacalhau e bacon, está preparando novidades como o trem bão, uai (prato feito à base de mandioca, carne desfiada, ora-pro-nóbis, creme de leite e queijo), omelete, panqueca, salpicão, maionese e enroladinho, entre outras novidades.

“Para completar, temos o licor de ora-pro-nóbis, também”, anuncia a chefe que gasta cerca de 20 quilos de planta a cada final de semana, em seu restaurante. Segundo admite, a bebida, que colabora na digestão, é como qualquer outro licor, de sabor puxado para a planta, além da coloração verde característica.

PROGRAMAÇÃO CULTURAL EM POMPÉU

Sábado (16/05)


• 10h – Abertura oficial
• 19h – Misturetária
• 21h – Amigos do Samba
• 22h30 – Ellite Dance
• 23h – Aerofusca

Domingo (17/05)

• 10h – Abertura
• 11h – Sociedade Musical Santa Cecília
• 13h às 15h – Arautos da Poesia – crianças recitando poemas entre os turistas
• 14h30 – Troupe Pirulinga
• 15h – Silas & Zé Alves e Banda
• 17h – D. Zilda

ONDE COMER

Restaurantes de Pompéu

• Alambique e Armazém Jotapê, Rua José Vaz Pedroza, 367, (31) 3671-6250
• Moinho d’Água, Rua José Vaz Pedroza, 192, (31) 3671-6150
• Quintal Mineiro, Rua Raimundo Agdo Ferreira, 54, (31) 3674-7161

Restaurantes do Centro Histórico
• Bar Ôco I, Rua Mestre Ritinha, 115, (31) 3671-4696
• Bar Ôco II, Praça Santa Rita, 14, (31) 3671-4696
• Cê-Qui-Sabe, Rua Mestre Caetano, 56, (31) 3671-2906
• 314-Sabarabuçu, Rua Dom Pedro II, 279, (31) 3671-2313.

Restaurante do Arraial Velho
• Pousada Santana, Rua Antônio Avendanha, 137, Arraial Velho, (31) 3671-5050


13º FESTIVAL DE ORA-PRO-NÓBIS DE SABARÁ
Distrito de Pompéu, seguir pela MGT -262, sentido Caeté. São cerca de 2,5 quilômetros do centro histórico da cidade até o distrito. Informações: (31) 3671-1403.

MAIS SOBRE GASTRONOMIA