Sampa Sanduicheria tem cardápio de clássicos da culinária paulista de boteco

23/01/2009 07:00
Pero David/Esp. EM/D.A Press
Sanduíche Edifício Itália, servido fatiado, é acompanhamento ideal para o chope gelado (foto: Pero David/Esp. EM/D.A Press)
Alexandre Perota de Magalhães sempre gostou de sanduíche. Desde criança fazia suas próprias combinações na cozinha de casa. Gostava tanto que o pai costumava esperá-lo chegar da escola para que comessem juntos o que o “pequeno gourmet” inventava para rechear o pão. Já adulto, foi para São Paulo. Durante os 18 anos em que morou lá, experimentou todo tipo de sanduíche, feito em tudo quanto é lugar – padarias, bares, barracas em estádios e, é claro, casas especializadas. De volta a Belo Horizonte, aliou seu know how no assunto à aptidão para culinária da mulher, Luciana Vieira de Lima, e, recentemente, abriu com ela as portas da Sampa Sanduicheria.

Além da grande variedade de sanduíches – 56, entre frios, quente e doces –, chama a atenção o fato de que nenhum deles é feito com hambúrguer de carne alguma. Apenas filé mignon, baby beef, picanha, linguiça (de frango ou calabresa defumada), peito de frango e filé de salmão, no caso dos quentes, que são maioria. “Queremos diferenciar a casa exatamente porque hambúrguer se acha em qualquer lugar na cidade”, justifica Luciana. Já na seção de sandubas frios, aparecem ingredientes como pasta de atum, peito de peru defumado, peito de frango desfiado, presunto e mortadela.

A sanduicheria é a primeira investida dos dois na área gastronômica, apesar de Alexandre ter trabalhado como vendedor de equipamentos para cozinhas industriais antes de se dedicar integralmente ao negócio. Luciana é psicóloga e concilia trabalho em escritório com atuação à frente da casa. A propósito, foi ela quem montou o cardápio, com sugestões do marido, é claro. “Quando conheci o Alexandre, ele me chamava para comer um sanduíche e tomar um chope. A princípio, pensava que se comesse isso, não aguentaria tomar cerveja. Só depois fui entender o que era, pois aqui não existe esse costume”, lembra.

Ela se refere não apenas à predileção do paulistano pelo sanduíche, mas ao hábito de fatiá-lo, transformando-o num petisco. “Lá, isso faz sucesso nos bares durante a happy hour. O freguês já chega no bar pedindo um sanduíche, para tomar junto com chope. Aqui, o pessoal está pedindo bastante”, conta Alexandre. Todos os sanduíches podem ser servidos inteiros ou fatiados e são sempre escoltados por batatas fritas. Os pães são feitos sob medida (20cm) pela Padaria Savassi: ciabatta, pão francês, pão com provolone e pão integral com grãos.

CLÁSSICOS

Todos os sanduíches são batizados com nomes de pontos da capital paulista e com nomes de algumas de suas estações de metrô. Entre os mais pedidos estão o Praça da República (pão francês, baby beef, queijo prato, presunto, ovo, tomate e alface; R$ 14,70) e o Edifício Itália (pão com provolone, filé mignon, queijo prato, abacaxi grelhado e cebola roxa marinada no shoyu; R$ 15,70). “O sanduíche Praça da República é muito famoso nas padarias”, diz ele.

Há também reproduções de clássicos de São Paulo, como o Estação Tiradentes (pão francês com 250g de mortadela, como servido no Mercado Municipal Paulistano; R$ 9,80) e o Estádio do Pacaembu (pão francês, linguiça calabresa defumada, muçarela e vinagrete, semelhante ao vendido em dia de jogos de futebol; R$ 10,50). As carnes dos sanduíches, mais finas, são preparadas na chapa; as que acompanham saladas (seis variedades), mais grossas, na grelha.

Completam o cardápio sanduíches doces, como o Clínicas (ciabata com goiabada cascão mole e requeijão cremoso; R$ 9,50) e o Estação Trianon/Masp (pão de provolone com creme de chocolate com avelã, queijo prato e fatias de banana; R$ 9,50) – todos servidos levemente aquecidos. Para sobremesa, há tortas doces variadas (R$ 5,50, fatia). Pequena oferta de vinhos (R$ 8, taça), cervejas long neck (entre R$ 3,20 e R$ 3,50), caipirinha (feita com cachaça produzida artesanalmente pelo pai de Luciana, em Santo Antônio do Leite; R$ 7) e chope Krug Bier (R$ 3,50, 300ml) são as opções de bebida. O tradicional Bauru, garante Alexandre, estreia em breve no cardápio da casa.

SAMPA SANDUICHERIA
Rua Paraíba, 1.334, Savassi. (31) 3889-9959. Aberto de segunda a quarta, das 11h à meia-noite; quinta a sábado, das 11h às 2h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA