Festival da Jabuticaba reúne produtores em Sabará

14/11/2008 07:00
Sidney Lopes/EM/D.A Press - 27/10/05
De setembro a novembro, Sabará costuma produzir até 10 mil litros de jabuticaba (foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press - 27/10/05)
Geléia, bombom, licor, sorvete, cappuccino, suco, catchup, vinho, panetone e queijo curtido são alguns dos derivados – além da própria fruta in natura – que estarão à disposição do público no 22º Festival da Jabuticaba, promovido neste fim de semana em Sabará, na região metropolitana. Cinqüenta produtores já garantiram presença no evento, que contará com barracas gastronômicas. A expectativa dos organizadores é de que cerca de 40 mil pessoas passem pela Praça de Esportes nos dois dias do festival, consumindo nada menos do que 45 mil litros de jabuticaba, além de seus já famosos derivados.

“Desde criança ouço falar em jabuticaba, além da geléia e licor feitos do produto”, recorda Dea Ramalho, presidente da recém-criada Associação dos Produtores de Derivados da Jabuticaba de Sabará (Asprodejas), que reúne 27 pequenos empresários da área. Segundo Dea, apesar da tradição que remonta à sua infância, apenas agora vai ser providenciado o levantamento da produção da fruta, que tem atraído turistas à cidade. “É o ouro negro dos quintais de Sabará”, afirma, orgulhoso, Roberto Gomes, gerente de eventos da prefeitura local, responsável pela realização do evento.

Conforme a Lei Municipal 146, de 1982, todo proprietário de imóvel que tem pé de jabuticaba em seu terreno poderá se beneficiar de descontos de 5% a 25% no IPTU. Para tanto, é necessário que o caule da planta meça no mínimo 5cm de diâmetro. “Já chegamos a ter até 1,2 mil moradores cadastrados”, contabiliza Roberto Gomes. Herança familiar, o aluguel de pés da fruta também resiste ao tempo em Sabará, onde é possível colher até 500 litros do ouro negro em um único dia. Na atual safra, o preço varia de R$ 80 a R$ 200, por pé. “De setembro a novembro, costumamos produzir até 10 mil litros”, comemora o produtor e diretor de cinema Silvino Fernandes, cuja Casa da Animação, no Arraial Velho, tornou-se referência do produto in natura.

Durante o festival, além da oportunidade de degustar a jabuticaba, os visitantes poderão adquirir mais de 15 produtos derivados da fruta, com destaque para os relacionados à gastronomia. “A carne vermelha assada com geléia é uma delícia”, afirma Dea Ramalho, lembrando que a fruta vem sendo explorada na cozinha principalmente em molhos para carnes. Entre as novidades dos derivados está o lançamento de um bombom diet. Enquanto isso, a associação estuda a possibilidade de a fruta vir a ser vendida na cidade a quilo, não no tradicional litro. Durante o festival, um concurso elege as melhores geléias e licores feitos pelos expositores. Na trilha da fama conquistada pela cidade, graças à produção do “ouro negro”, o Divirta-se divulga algumas receitas dos produtores preparadas com derivados da fruta.

22º FESTIVAL DA JABUTICABA DE SABARÁ
Praça de Esportes, Rua Mário Machado, s/nº, Centro, Sabará. Com show de artistas locais. Sábado e domingo, das 9h às 22h. Ingressos: R$ 1.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA