Bar Virada da Alvarenga desafia na maneira de servir a carne

14/11/2008 07:00
Pedro Motta/Esp.EM/D.A Press
Recém-inaugurado em Lourdes, o Virada da Alvarenga aposta na dupla tira-gosto e cerveja (foto: Pedro Motta/Esp.EM/D.A Press)
A concorrência entre casas do mesmo gênero nem sempre ocorre de maneira explícita. Algumas vezes, quando o famoso “diferencial” parece inexistir, são os detalhes que contam pontos. Esse é o caso do Virada da Alvarenga, bar recém-inaugurado em Lourdes, especializado em carnes e próximo de casas rivais como Boi Lourdes, Chico do Churrasco e Tizé. O “algo mais” está na maneira de servir a carne: a peça é assada na brasa, trazida inteira para a mesa do cliente e, só então, fatiada na frente do cliente. Detalhe que, aparentemente pouco importante, pode definir a freguesia do local.

O proprietário da casa, Mário Firpe, afirma que a concorrência da região, quando não prepara a carne na chapa, a serve previamente fatiada. “A carne cortada fica esfriando no balcão antes de chegar à mesa”, argumenta. É assim que ele serve cortes como picanha (R$ 5,60, 100g), alcatra (R$ 4,70, 100g), lombo suíno (R$ 3,55, 100g) e picanha suína (R$ 3,95, 100g). Outra peculiaridade dessa modalidade de serviço é que dá opção ao cliente de pedir que a carne seja devolvida para o calor da brasa caso não esteja no ponto desejado. A casa trabalha com carnes nacionais, argentinas e uruguaias.

Mário não tem experiência no ramo, mas sempre quis “trabalhar com o público”. Engenheiro civil, comanda três empresas de fabricação de bijuterias. “Sempre fui botequeiro. Eu e minha mulher moramos muito em cidades do interior, onde não há nada para fazer. Então, íamos muito a botecos. Toda noite”, conta. Animado com o movimento do bar, ele abrirá outra casa do gênero (porém maior) daqui a três meses. Se chamará Virada da Curitiba, já que também fica próxima a uma curva, ao lado da Piu Pizza e Birra, na rua Curitiba, também em Lourdes.

Do gerente Também são preparadas na churrasqueira pedidas como salsichão tipo alemão (R$ 5,90, unidade), provolone com abacaxi (R$ 10,50, 250g), mussarela (R$ 3,15, 100g), pão com pasta de alho e queijo (R$ 2,60, unidade) e lingüiças de pernil semidefumada (R$ 2,95, 100g), recheada com provolone (R$ 3,40, 100g) e da casa (R$ 3,45, 100g). Esta última é feita a partir de receita da família do gerente da casa, Pedro de Paiva, que é da cidade mineira de Caratinga – o toque fica por conta da pimenta malagueta. Há ainda peixes e frutos do mar na brasa: camarão (R$ 14,90, 100g), salmão (R$ 5,40, 100g) e tilápia (R$ 4,25, 100g) são os destaques.

Também é do gerente a receita dos escondidinhos de carne-de-sol (R$ 23,50, para duas pessoas) e camarão (R$ 34,90, para duas pessoas). O escondidinho de frango com catupiry e creme de milho não está no cardápio, mas pode ser pedido. “É bem leve”, diz Pedro. Pratos (todos para duas pessoas) completam as opções: os preferidos do público são a moqueca de badejo com arroz e pirão (R$ 39,90), lombo de porco com arroz, feijão-tropeiro e couve (R$ 35,90) e picanha com arroz, batatas fritas, vinagrete e farofa (R$ 42,50). Há petiscos, saladas e sobremesas.

Mergulho Como o bar não tem exclusividade com nenhuma marca de cerveja, a variedade é grande. São 17 opções (entre R$ 3,20 e R$ 12,90), incluindo marcas nacionais especiais e importadas. Para manter a cerveja gelada por mais tempo, o bar desenvolveu capas de neoprene (o mesmo material das roupas de mergulho) com a marca da casa para colocar nas garrafas – a propósito, estão à venda para interessados. Também serve chope (R$ 3,25), da microcervejaria mineira Artesamalt. O cardápio ainda lista vinhos (24 rótulos; entre R$ 22,90 e R$ 279, 50) e cachaça (uma delas foi envelhecida durante 15 anos e é servida gelada; R$ 4,20, dose).

VIRADA DA ALVARENGA
Rua Alvarenga Peixoto, 551, Lourdes. (31) 3292-5940. Aberto de segunda a quinta, das 17h à 1h; sexta e sábado, das 11h às 2h; domingo, das 11h às 23h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA