Carne de cordeiro faz sucesso na brasa

Cortes de pernil, paleta e costeletas já são comuns nas churrascarias

17/10/2008 07:00

Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press
Costela de cordeiro assada do Fogo de Chão, pedida que cresceu 60% desde a abertura da casa, há dois anos (foto: Pedro Motta/Esp. EM/D.A Press)
Mesmo com popularidade crescente, a carne de cordeiro ainda não bateu os cortes bovinos nas churrascarias de Belo Horizonte. De toda forma, já circula pelos salões como carne nobre, ao lado da picanha, alcatra e contrafilé, e não mais na categoria a qual pertencem jacaré, rã ou capivara. Nos rodízios, cortes com ossos são os mais comuns, preparados sempre no espeto. A paleta é o corte mais comum. Molhos e geléias à base de hortelã são guarnições quase que onipresentes para quem pede um pedacinho de cordeiro ao garçom.

Na Fogo de Chão, estão disponíveis pernil, paleta e costeletas de animais provenientes do Uruguai, Chile e do Sul do Brasil. “Quando abrimos, há dois anos, tínhamos só um funcionário para servir cordeiro. Hoje, são dois. Estamos vendendo 60% a mais”, afirma o gerente geral Neivonir Parisotto. Antes de ir ao fogo e a cada vez que a carne é fatiada, recebe uma pincelada de tempero à base de vinho branco, sal grosso, pimenta dedo-de-moça e água. Pernil e paleta são espetados inteiros, enquanto a costeleta é espetada em peças de dois ossos.

Enquanto o Porcão aposta na variedade, com nove cortes (paleta, picanha nobre, costeletas, carré, filé mignon, costelinha, picanha, pernil e lombo), o Baby Beef oferece apenas paleta em seu rodízio. “É um corte de valor mais acessível. Gostaríamos de trabalhar com outros, como a costeleta, mas o valor do rodízio teria que ser aumentado”, justifica Eduardo Borba, gerente do Baby Beef. Lá, a paleta permanece dois dias em marinada de vinho branco e ervas antes de ir a brasa.

PÚBLICO MASCULINO

Em várias churrascarias da cidade é constatado como predominantemente masculino o perfil do público consumidor de carne de cordeiro, mas nem todo lugar é assim. “Homem realmente come mais cordeiro que mulher, mas vejo também muitos garotos e jovens pedindo também”, conta Mateus Reis, gerente do Ambrosio’s. Lá, além de pernil e costeleta, os churrasqueiros preparam bisteca de cordeiro, feita com a ponta do carré. “Cada dia que passa, o consumo aumenta. De três anos para cá, calculo em pelo menos 200% o crescimento do consumo de carne de cordeiro”, revela.

A guarnição de hortelã, presente em todas as churrascarias que servem cordeiro, ganha duas versões na Adega do Sul: molho (mais salgado) e geléia (doce). Tanto a paleta quanto o pernil preparados na casa repousam em mistura de vinho branco, alho, hortelã, manjericão e sal antes de serem levados para assar.

Adega do Sul - (R$ 36,90, rodízio de segunda a sábado; R$ 41,90, rodízio aos domingos e feriados)
Avenida do Contorno, 8.835, Gutierrez, (31) 3292-6333. Aberto de segunda a sexta, das 12h às 16h e das 18h à 0h; sábado e domingo, das 12h à 0h.

Ambrosio’s - (R$ 54,90, rodízio)
Avenida Getúlio Vargas, 880, Funcionários, (31) 3262-4113. Aberto de segunda a sábado, das 11h30 à 0h; domingo, das 11h30 às 18h.

Baby Beef - (R$ 25,90, rodízio de
segunda a sexta; R$ 34,90, rodízio aos sábados, domingos e feriados)
Avenida Cristiano Machado, 4.000, União, (31) 3426-1100. Aberto de segunda a sábado, das 11h30 à 0h; domingo, das 11h30 às 21h30.

Fogo de chão - (R$ 68, rodízio)
Rua Sergipe, 1.208, Savassi, (31) 3227-2730. Aberto de segunda a sexta, das 12h às 15h e das 18h à 0h; sábado, das 12h à 0h; domingo e feriado, das 12h às 22h30.

Porcão - (R$ 65, rodízio)
Avenida Raja Gabaglia, 2.985, São Bento, (31) 3293-8787. Aberto de segunda a quinta, das 12h às 15h30 e das 18h às 23h30; sexta e sábado, das 12h à 0h; domingo, das 12h às 22h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA