Saborear Sabará se dedica à gastronomia mineira

Festival começa neste sábado (30/08) e vai até 14 de setembro

29/08/2008 07:00
Romerson Araújo/Divulgação
Com ingrediente típico da culinária local, panqueca com ora-pro-nóbis está no cardápio do festival (foto: Romerson Araújo/Divulgação)
Eventos como o Festival de Gastronomia de Tiradentes, que terminou no último domingo, são sempre valiosos para lembrar do potencial que Minas Gerais tem como pólo gastronômico. Algumas cidades já perceberam isso e trataram de correr para acompanhar as que já despertaram para a realidade. Ouro Preto e Macacos são alguns dos exemplos mais conhecidos, cada um com sua temporada culinária. Sabará, que, a partir dessa sexta, inicia a segunda edição do seu festival de gastronomia, promete entrar para o time. São 16 restaurantes mostrando pratos criados especialmente para o evento de sábado a 14 do mês que vem, incluindo programação cultural.

“O resultado da primeira edição nos surpreendeu. Houve restaurantes nos quais a comida acabou, de tanta procura. Este ano nos preparamos para receber melhor o público. A gastronomia em Sabará estava oculta, limitada pela jabuticaba e pelo ora-pro-nóbis, quando, na verdade, é muito mais que isso. Consolidar a cidade como pólo de cultura e gastronomia é um caminho sem volta. E a cidade tem vocação para isso. É inevitável”, analisa Paulo Valle, realizador do Saborear Sabará. Ano passado, 12,5 mil pratos foram vendidos durante os três fins de semana do evento.

Este ano, a programação conta com dois restaurantes a menos em relação ao ano passado: um deles foi excluído por ficar distante do Centro de Sabará (está localizado na cidade vizinha de Ravena) e outro está em reforma. Paulo explica que, entre os critérios para seleção dos restaurantes que participam dessa edição, estão nível de estrutura da casa e cardápio atraente. Os pratos podem ser o quão variados o proprietário quiser, mas ao menos um deles deve remeter a aspectos regionais.

ABACATE NA FAROFA
É por isso que nem todo prato representante tem ora-pro-nóbis ou jabuticaba. Alguns seguem linha mineira-genérica, como o Bar do Jacaré, que serve lombo de panela, tutu, arroz, torresmo, couve, lingüiça e angu (R$ 15,90, para duas pessoas), e o Kanka’s Bar, que aposta na mistura de torresmo na chapa e torresmo à pururuca com cebola e jiló (R$ 13,90, para três pessoas).

Como de costume, há quem arrisque nas combinações. Entre os mais comportados está o restaurante da Pousada Sant’Ana, que criou vinagrete com abacate para acompanhar o torresmo de barriga (R$ 28,90, para duas pessoas), guarnecido ainda com arroz e batatas fritas. “Fica muito legal. O pessoal gosta é de misturar esse vinagrete na farofa”, conta o garçom Paulo Antônio Leite. Ano passado, a casa participou do evento com o tradicional frango com ora-pro-nóbis.

No segmento ousado, destaque para o Rancho do Tropeiro, que desenvolveu salmão ao vinho tinto com ora-pro-nóbis, legumes e arroz de castanha (R$ 35, para duas pessoas). Entre outras opções com sotaque regional, merecem atenção o filé ao molho de jabuticaba (R$ 15, individual) do Cê Qui Sabe, a panqueca com carne moída e ora-pro-nóbis (R$ 18, quilo) do Moinho d‘Água, e o surubim ao aroma de cachaça, servido com arroz mexicano e batatas sauté (R$ 15,90, individual), do Solar Corte Real.

SABOREAR SABARÁ
Circuito de 16 restaurantes com pratos criados para o evento. De sábado a 14 de setembro, em Sabará. Informações pelo site www.saborearbh.com.br

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA