Festival de Gastronomia já é tradição em Tiradentes

15/08/2008 07:00
Beto Magalhães/EM/D.A Press - 26/1/07
Bacalhau fumeiro do Restaurante Atrás da Matriz, casa que oferece menu variado durante o festival (foto: Beto Magalhães/EM/D.A Press - 26/1/07)
De sexta-feira (15/08) ao dia 24, Tiradentes recebe novamente uma das mais importantes festas da boa mesa no país. Festins com chefs do Brasil e exterior, almoços e jantares especiais, cursos, degustações e atrações culturais vão movimentar o cenário histórico da bela cidade mineira durante a 11ª edição do Festival de Gastronomia de Tiradentes, que, a partir de agora, integra o 1º Circuito Brasileiro de Cultura e Gastronomia ao lado de Paraty (RJ), Gramado (RS), Arraial d’Ajuda e Trancoso (BA).

Este ano, uma série de novos eventos promete dar fôlego ao festival, a começar pelo roteiro de restaurantes oficiais. São cerca de 20 casas de propostas variadas, com menus criados especialmente para o festival e com preços que atendem todos os bolsos – a maioria oferece descontos e benefícios para assinantes do Estado de Minas e provedor Uai. No Restaurante Conto de Réis, por exemplo, cada pessoa paga R$ 33 para comer a feijoada alemã que a casa vai preparar para essa temporada.

Quem quer apreciar menus degustação, mas não pretende desembolsar os R$ 220 cobrados pelo festim, também tem opções variadas. É o caso dos restaurantes Atrás da Matriz, Casa Tavarana, Porta do Céu, Sapore D’Italia e Spaghetti, que cobram R$ 75 (individual), cada um, por menus com até cinco pratos. Já o Theatro da Villa, comandado pelo chef Carlos Eduardo de Castro, apostou num menu vasto, incluindo entradas, massas, carnes, sobremesa, chá, licor e café, a R$ 150 (individual).

Outra novidade é o concurso Novos talentos. O primeiro, destinado estudantes de gastronomia e cozinheiros amadores, estimula a criação de receitas próprias, que serão avaliadas por chefs. A melhor receita será realizada pelo vencedor em Gramado (onde será promovida a última etapa do circuito), que ganhará passagem para Portugal, com direito a uma semana de estágio no Restaurante Eleven, em Lisboa. Não por acaso, o tema desta edição do festival é “Chegada da Família Real ao Brasil – 200 anos e nem tudo foi descoberto”.

Edson Teixeira/Divulgação
Aula no Largo das Forras, cena comum na cidade histórica (foto: Edson Teixeira/Divulgação)
AO AR LIVRE


Este ano, o festival contará com dois bares: um no Largo das Forras e outro no da Rodoviária. Perto do segundo, foi construída a Cidade da Cultura e Gastronomia, criada pelo artista plástico Thi Rohmann e que reproduz casas típicas de Tiradentes, Trancoso, Paraty, Gramado e Arraial d’Ajuda. Lá serão realizadas as degustações, estandes, empório e aulas de cozinha, além dos shows, que terão palco num coreto.

De sexta a domingo, grupos de jazz, bossa nova, chorinho e MPB vão animar os largos das Forras e da Rodoviária, que também contarão com momentos de discotecagem. Exibição de filmes, intervenções teatrais e exposições de escultura, pintura e até carros antigos completam a programação.

A Universidade Estácio de Sá supervisionará todos os cursos de culinária e abrigará boa parte deles em seu espaço gourmet, incluindo opções gratuitas. A primeira aula do festival, a propósito, será de graça: sábado (16/08), às 10h, Bruno Albergaria, chef do Ouro Minas Palace Hotel, na capital mineira, ensinará a fazer codorna recheada com nozes e arroz negro ao molho périgueux. No domingo, também às 10h, a criançada vai pôr a mão na massa em curso infantil gratuito, a cargo de Thi Ziguibru, Irmãos Montanha e do chef Lautaro Parra.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA