Novo bar traz ares cariocas para Belo Horizonte

No cardápio do Urca, novo bar da cidade, destacam-se o chope e petiscos diferenciados

14/06/2008 12:47
Rodrigo Albert/Especial para o EM
O Bar Urca é uma espécie de Redentor mais sofisticado, com capacidade para 210 pessoas (foto: Rodrigo Albert/Especial para o EM)
Lourdes tem restaurantes de sobra. Vira e mexe, uma antiga casa do bairro é alugada e logo passa a receber amantes da gastronomia. Bares, em compensação, não são tantos assim. Os últimos a chegar foram o Tizé e o Chico do Churrasco, ano passado, e o Bar do Lopes, em fevereiro. A concorrência esquenta esta semana com a inauguração do Bar Urca, no cruzamento das ruas Curitiba e Felipe dos Santos, de frente para a Praça Marília de Dirceu. O forte da casa são o chope e petiscos que fogem do habitual.

O foco no chope não é obra do acaso. O proprietário, Fausto Dias, é o mesmo do Redentor, uma das principais choperias da cidade. A grosso modo, o bar é uma versão ligeiramente mais sofisticada do Redentor, mas com o mesmo tipo de mesa (de madeira), piso xadrez de preto e branco e detalhes como painéis com pin ups e imagens de BH e do Rio. “Esse bar é um Redentor para Lourdes, que é um bairro mais refinado. Mesmo assim, o fizemos para as pessoas entrarem bem à vontade. De bermuda, mesmo”, acredita ele.

Trata-se de bar grande, com dois andares e capacidade para 210 pessoas em três ambientes (salão principal, varanda e mezanino). Uma das principais diferenças em relação ao Redentor está na infra-estrutura. Houve grande preocupação em instalar equipamentos para tratamento de ruído e odores que, teoricamente, incomodariam a vizinhança. A casa conta banheiro adaptado e elevador para pessoas com deficiência física. O bar foi imaginado em 2005 e o imóvel, comprado no ano seguinte. As obras duraram 18 meses.

No cardápio, são 10 tiradas de chope diferentes (feitas com claro e escuro), contra 11 do Redentor – os nomes mudam de uma casa para outra, mas as tiradas são as mesmas. A chopeira, em compensação, é mais moderna e maior, com quatro bicos. Os preços variam entre R$ 3,20 (220ml) e R$ 4,20 (350ml), em função da proporção e da combinação entre líquido e colarinho. Adega, item que passou a existir no Redentor em função da inesperada demanda, já nasceu instalada na nova casa e para 400 garrafas. A maior parte dos 85 rótulos custa entre R$ 40 e R$ 80.

Importação

Vários itens do cardápio foram trazidos do livro de receitas do Redentor. São pedidas clássicas da outra casa, como empadinha (as fornadas continuam sendo anunciadas pelas badaladas de um sino; R$ 4,10), maminha ao molho de cerveja preta (R$ 23,90), carne-de-panela (R$ 21,20) e a tradicional carne seca desfiada, refogada com cebola, mexida na farinha e regada com manteiga de garrafa (R$ 22,50).

À frente da cozinha está o chef Rubens Galdino, que acumula experiência como consultor de quase 30 casas na cidade. “Agora, vim para ficar”, garante ele. O chef deu ao cardápio ar mais gourmet, criando pratos e petiscos e incrementando receitas já existentes. São dele as massas (feitas na casa; entre R$ 18 e R$ 24, individual), boa parte dos pratos principais e alguns petiscos e sobremesas, como as costeletas de cordeiro ao molho de vinho com purê de batata (R$ 30, individual), a costelinha ao mel de pimenta (R$ 14) e o nougat de amêndoas com chantilly e calda de laranja (R$ 10).

URCA - Rua Felipe dos Santos, 402, Lourdes. (31) 3337-2044. Aberto diariamente, das 11h ao último cliente.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA