Pastor deseja a morte de Paulo Gustavo e grupos LGBTQIA+ pedem processo

Após as declarações repercutirem, o agressor excluiu sua conta nas redes sociais

Reprodução/Instagram
Paulo Gustavo (foto: Reprodução/Instagram)
 

Grupos que defendem os direitos da população LGBTQIA+ emitiram notas de repúdio a respeito da declaração feita pelo Pastor José Olímpio, da Assembleia de Deus de Alagoas.

José afirmou que está orando pela morte de Paulo Gustavo, que está internado em estado grave há mais de um mês por complicações da covid-19. "Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza. E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si" declarou o pastor, que após receber críticas excluiu sua conta na plataforma. 


As organizações reivindicam que "crimes como estes, motivados por homofobia, sejam enquadrados da tipificação da LGBTfobia, na lei de combate ao racismo de n. 7.716/2018, e que punições mais rigorosas e severas sejam tomadas contra condutas homofóbicas e atos discriminatórios como o em questão".


O diretor-presidente da Aliança Nacional LGBTI - um dos responsáveis pela iniciativa, Prof. Dr. Toni Reis, informou que os grupos respeitam a diversidade religiosa, mas não podem "admitir o desejo pela morte de ninguém", segundo o UOL.

A fonte tentou contato com a Assembleia de Deus de Alagoas, que preferiu não se pronunciar. Leia abaixo a carta de repúdio. 

 

"CARTA DE REPÚDIO E REVOLTA AS AGRESSÕES PROFERIDAS PELO LÍDER RELIGIOSO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS - PR. JOSÉ OLÍMPIO 

 

Instituições LGBTQIA e outras defensoras de direitos humanos de todo o país, vem a público manifestar seu repúdio as agressões motivada por homofobia, escarrada pelo líder religioso da Assembleia de Deus em Alagoas - pastor José Olímpio, na última quinta-feira, 15/04 , na página oficial do Instagram do pastor.


O ato criminoso de violência, praticado por este líder religioso, contra o ator Paulo Gustavo, que se encontra internado em virtude de problemas de saúde causadas pelo COVID-19, problema sério de saúde pública e sanitária mundial, fere severamente não só Paulo, mas todas as vítimas da doença, a comunidade LGBTQIA , classe artística e a todos os cidadãos de bem que tenham bom senso e sintam empatia por seu próximo.


A intolerância e o conservadorismo, observados não apenas em crimes de ódio como este, mas também em discursos e práticas preconceituosas, presentes em diversas instâncias do cotidiano brasileiro atual, causam sérios problemas à ordem pública democrática deste país e entristece-nos saber que este não é um caso isolado, mas apenas um dos tantos casos de crimes motivados por LGBTfobia no Brasil, como foi o atentado de 15 de abril de 2021, a honra de Paulo Gustavo e todos os cidadãos decentes e de caráter libido deste país.


É urgente que crimes como estes, motivados por homofobia, sejam enquadrados da tipificação da LGBTfobia , na lei de combate ao racismo de n. 7.716/2018, e que punições mais rigorosas e severas sejam tomadas contra condutas homofóbicas e atos discriminatórios como o em questão.


 Fora o tratamento jurídico específico para tais crimes, reconhecendo sua especificidade, compreendemos ainda que apenas através da educação é que poderemos construir um país mais tolerante à diversidade sexual, de gênero, religiosa, política, étnica, social e cultural, tambem de pensamento político e religioso mas não de intolerância criminosa e libertinagem.


Por fim, manifestamos nosso apoio e solidariedade ao ator Paulo Gustavo e a todos que se sentiram feridos e magoados com a fala criminosa do pastor, ao mesmo tempo comunicamos oficialmente que medidas judiciais serão tomadas contra o pastor José Olímpio - líder religioso da Assembleia de Deus em Alagoas, ao mesmo tempo também nos solidariezamos com todos os religiosos que se sentiram agredidos e triste por este ato criminoso e intolerante.

 

Maceió, 17 de abril de 2021."

Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: